quinta-feira, 31 de julho de 2008


Deixo que pousem
em mim e me beijem
macias na sua leveza
e como em breve
passagem
tal como eu
deixo-as começarem
em mim...


Foto: Gustavo Lebreiro

7 comentários:

Viajantis disse...

Gosto das nuvens mas tento não permanecer muito tempo nelas para não perder a noção da realidade....

wind disse...

Gostei:)
Beijos

A. João Soares disse...

Prefiro que o poema se refira às borboletas ou, mais espiritualmente, a sentimentos positivos e amorosos.
Bonito.
Beijos
João

peciscas disse...

As núvens sempre nos encantam. Porque são leves ou pesadas. Porque são densas ou esfarrapadas. Porque são das mais variadas formas.
Porque nunca há duas iguais.

lena disse...

que o pousar seja leve e doce

onde começa a conjugação do verbo amar na primeira pessoa, nesse "mim"


como é bom ler-te Paulinha, há sempre algo que me deixa presa

o meu abraço terno e amigo

beijinhos para ti doce Poeta linda

Isabel-F. disse...

belo poema...

adoro nuvens.


beijinhos e bom fim de semana

poetaeusou . . . disse...

*
agua condensada,
passageira . . .
,
jonos
,
*