segunda-feira, 21 de julho de 2008

Menino


Vejo-te chegar
no passo melancólico
de um poema,
das mãos os desenhos
que fazes
na solidão
do teu atelier
e do olhar
as cores
com que pintas
as imagens
e o sonho fantástico
que te preenche
os dias longe de mim.

Vejo-te chegar
e ainda é doce
o teu sorriso de menino.


Foto: Gustavo Lebreiro

11 comentários:

A. João Soares disse...

Pela descrição, já não é menino!!! Mas tal descrição deixa entrever um subconsciente de pedófila! Vamos lá ter maneiras e não abuses dos meus tenros 14 anos, mal contados.
Ai Paula, quando uma mãe ama, vê, com o seu espírito matermal, em cada homem o seu menino!
Beijos
João

poetaeusou . . . disse...

*
que lindo,
o sorriso das crianças,
e adultos . . .
,
jinos
,
*

Eduardo Aleixo disse...

Melancólico poema, mas muito terno e bonito. A foto é muito bela.
Eduardo Aleixo

Carla disse...

chega um corpo feito arte...
boa semana
beijos

leonor costa disse...

Há sorrisos que nunca se esquecem. Especialmente aqueles de quem amamos.

Beijos


HOJE E AMANHÃ

wind disse...

Terno e doce:)
Beijos

TINTA PERMANENTE disse...

Um (en)canto de menino!...

abraços!

alice disse...

porque há marcas que o tempo não consegue apagar... beijinho, paula.

peciscas disse...

Melancólico, mas doce.

Å®t Øf £övë disse...

Paula,
Todos nós temos "meninos" na nossa vida que nunca crescem, e que a cada sorriso seu, nos desfazemos por completo.
Beijinhos.

xistosa - (josé torres) disse...

Paula, são poemas por dentro e por fora.
Até no olhar.
Estão por todo o lado, inclusive num caminhar.