segunda-feira, 7 de julho de 2008

Surpresa


Surpreendes-me sempre
e é muito bom
ser surpreendida
pela voz dos afagos,
pela magia do sorriso,
pelo corpo quente
que de surpresa
em surpresa
se desprende etéreo,
num meio termo de saudade.

Gosto que me surpreendas
assim
ao ritmo das
estações do ano.


Foto:Gustavo Lebreiro

15 comentários:

Eduardo Aleixo disse...

Bonito. Ternurento. Boa semana. Com boas surpresas.
Eduardo

Andreia do Flautim disse...

Olá!
Obrigada pela visita!
volta sempre!:)

Eremit@ disse...

está óptimo Paula. e gostei muito deste teu poema. abraço

wind disse...

Gostei. Está apaixonado:)
Beijos

Graça Pires disse...

Também nos surpreendes, Paula. E é bom. Um beijo.

Odele Souza disse...

As surpresas de amor são sempre boas,e nos fazem muito bem.
]
Beijos e boa semana.

a casa da mariquinhas disse...

Regressei de férias ontem, tarde da noite!!!
Hoje venho apenas agradecer as visitas ao meu blogue.
Com calma, lenta mas seguramente… irei respondendo aos comentários, lá, na minha “casa”.
Voltarei tão breve quanto possível.
Beijo carinhoso
Mariazita

peciscas disse...

Quem não gosta de surpresas?
Se forem agradáveis dão sabor e movimento à vida.

lena disse...

adorei ler-te assim, solta nesse gosto de surpreender


abraço-te sempre com carinho doce e bela Poeta

Beijinhos Paulinha

lena

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá Paulinha, lindo post... Parabéns!!!
Beijinhos,
Fernandinha

poetaeusou . . . disse...

*
surpresa,
magia eterea,
,
jinos
,
*

A. João Soares disse...

Querida Paula,
Também estou apaixonado pela mesma «pessoa» que «ao ritmo das estações do ano» me aquece, me afaga, umas vezes com um bafo quente, outras com uma brisa mais fresca que me suaviza os impulsos mais ardentes e me deixa um ligeiro arrepio na derme. E, de forma mais visível, me deixa mais morenaço! Vem sempre depois do brilho inebriante das cores floridas da Primavera. Como é bom o Verão entrar em nós e aquecer-nos o corpo e a alma!
Beijos
A. João Soares

xistosa - (josé torres) disse...

Tudo o que é diáfano, nos pode surpreender, até a saudade que se ritmiza ténue, ao longo do tempo.

viajantis surpreendidus disse...

...tambem gosto!

Bj

Eremit@ disse...

Paula, vim a ler-te até aqui e a deliciar-me.
Obrigado.
e obrigado também pelas palavras deixada na minha imitação.
fraterno abraço do E.