quinta-feira, 17 de julho de 2008

Escrevi



É noite já.
O Inverno chegou
e está tão frio.
Traz no rosto
um clarão surpreso
e nas mãos
a promessa
de Primavera,
comparo-te ao Inverno.
Um Inverno tão incompreensível,
e tão temível
como tu, quando,
logo de manhã,
não sorris, não falas
e só olhas para mim
tão frio, como o Inverno!

10 comentários:

A. João Soares disse...

Abre os olhos menina, acredita nesta avó velhinha e experiente: o olhar frio como o Inverno que ele apresenta pela manhã é a pedir que o aqueças com o teu sopro quente de primavera antecipada. Ai eles, são muito exigentes e manhosos!!!
E esta hein!!!
Beijos
João

poetaeusou . . . disse...

*
terrivel,
como o inferno,
,
jinos
,

wind disse...

Muito bom para os anos em que foi escrito:)
Beijos

Eduardo Aleixo disse...

Poema tão tétrico para um Verão tão luminoso. Rapariga, então? E um banho de mar? E uma corrida no Guincho? E uma cerveja fresca com caracois? E um grito agudo que vença o ruído da boca do inferno? E...puxa!!!
Beijo.
Eduardo

peciscas disse...

Há aí uma memória penosa que, apesar de já ter tantos anos, ainda estará presente.
Deveras intimista essa reprodução em fac-simile do poema.

Ana Patudos disse...

Paulinha vim retribuir a tua visita e ler tudo o que tens por este teu cantinho e gostei.
Este teu ´ltimo poema é um pouco tristonho, mas por vezes sentimos o mundo assim à nossa volta não é?
bjos
Ana Paula

Ácido Cloridrix HCL disse...

Venha o Verão e os olhares calientes que te desnudam com um simples relance puro e erótico!!!
Mas de qq maneira,,, belo poema esse teu Inverno de olhares frios com muita roupa!!!! Beijocas,,, HCL

Laura disse...

Ai nina,a credita que este poema pode ter sido feito aqui para a nina das résteas, tão assim me sinto tantas vezes e tanto me qeuixo de solidão memso tendo um manel cá em ccasa, ah como te entendo...Beijinho d emim...

xistosa - (josé torres) disse...

Por isso não gosto de comentar quem conheço, sem saber quem é, donde é e como é ... e sem nunca nos termos cruzado.

Talvez o tempo lembre um inverno, ou um inferno de promessas frias de olhares sombrios.

temos que deixar de pensar no presente, nem falo no passado, que pelas palavras é carregado.
O SOL brilha todos os dias ... só necessitamos de ir á janela!

lena disse...

o inverno....

queria saber esmaga-lo nas minhas mãos...



deixo-te a beleza da primavera e com ela uma @---->--- do meu jardim

beijinhos doce Poeta e querida amiga Paulinha

abraço meu com carinho


lena