sábado, 12 de julho de 2008

Musa


Sou a musa
das tuas palavras
quando o tempo
se desmarca,
sem rédeas
sem amarras
sou o possível
desencanto intemporal.


Foto: Gustavo Lebreiro

7 comentários:

viajantis sin musa disse...

As musas, se nascidas de paixões, de deslumbramentos que, de momentâneos são, conduzem, como dizes, a "desencantos intemporais"....

wind disse...

Belo:)
Beijos

poetaeusou . . . disse...

*
és a amarra,
destas palavras . . .
,
jinos
,
*

Graça Pires disse...

"O possível desencanto intemporal".
Gostei. Um beijo.

a casa da mariquinhas disse...

...sem rédeas, sem amarras...
Gostei!
Beijos
Mariazita

xistosa - (josé torres) disse...

Sem amarras, sem rédeas e intemporal ... oh musa que não necessitas palavras para me inspirares.
Sou o impossível!

© Piedade Araújo Sol disse...

e serás também a musa, por vezes do silencio dessa paisagem da foto que acho é do Porto Santo!

beij