sábado, 10 de novembro de 2007

Paixão

Irrompe a paixão
como todas as paixões
sem aviso
sem ser esperada
sem se fazer anunciar
brutal e desmedida
brota do nada
neste jardim...

4 comentários:

Rui Caetano disse...

A paixão brota do nosso ser sem um aviso, sem uma restia de sinal. O nosso olhar silencioso irrompe do nosso rosto e apanha aquele outro rosto numa força sem retorno possível.

António Sabão disse...

Belas palavras! Gostei muito, querida Paula! :)

GarçaReal disse...

Brota a paixão...Pois, e agora?

O melhor é vivê-la.


bjgrande

Teresa David disse...

Olá Paula,

Com a tua mudança constante de blogs só a ti consigo chegar quando me visitas! Mas, também, aproveito e ponho a escrita em dia. Li esta página toda e os poemas mais pequenos são os que mais me agradaram. Continuas prolifera como sempre, cada um é para o que nasce não é? No teu caso poetizar é quase como respirar!
Agora vou espreitar o teu outro blog!
Bjs
TD