quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Vento

A Wind tem sido uma pessoa que me tem seguido através dos meus espaços, encontrando-me, onde quer que eu esteja.
A mais assídua nas suas visitas, no incentivo e nas críticas acutilantes e sensíveis.
Esperei o teu regresso para te agradecer.
Um obrigado enorme para ti, pela tua coerência e frontalidade.

No vento urge
a maré cheia
esvaziando corpos
distendidos
no areal
doce o vento
que embala
os sonos dos sonhos
e traz consigo
mãos cheias
de esperança
na frase certa
do amanhecer.

9 comentários:

wind disse...

Apanhaste-me desprevenida com um belo poema com o qual muito me identifico, daí uma das muitas razões do meu nick ser wind.
Agora dou-te publicamente os parabéns porque através de mails conseguiste fazer o que te ensinei:)
Vês como és capaz? É só querer.)))
Beijos

A. João Soares disse...

Feliz quem tem o bafo enternecedor do vento embalador. Mas cuidado, não podemos esquecer os que são vítimas de tufões, tornados e outros tipos de tempestades arrasadoras. Nisto, como em tudo o mais, a temperança é a virtude, devemos tomar os medicamentos na dose correcta.
Desejo à Paula e à Wind que tenham sempre ventos bonançosos e nunca sintam o cheiro da tempestade.
Abraços

Isabel-F. disse...

Um belo poema ...

uma merecida homenagem à Wind, pessoa que muito admiro e com quem tenho estado virtualmente desde o início desta minha caminhada na blogosfera ...
________________

gostei de ler as "10 coisas sobre ti" ... foi um modo de te ter ficado a conhecer um pouquinho melhor ....

beijinhos

Belzebu disse...

Gostei desta brisa fresca dedicada à Wind. Ela é também uma das mais assíduas visitas lá das profundezas, desde que criei o blog e as suas pequenas ausências fazem-se sempre sentir!

Aquele abraço infernal!

P.S. Agora vou-me porque tenho que ir ao supermercado. eheheh!!!

António Sabão disse...

Muito bem! :-)

Bernardo Moura disse...

Gostei muito do poema!
:)

peciscas disse...

A Wind é uma boa amiga.
Sensível e com muito bom gosto, nos textos e nas imagens que vai colocando no seu blog.

Um Momento disse...

Sorrindo-te a ti e á tua Amiga
Beijo ás duas
(*)

lena disse...

poeta linda

tu consegues encantar-me

esta merecida homenagem à Wind tem um sabor muito especial. admiro-a muito pela sua força, por ser assim, uma brisa fresca e doce, pelas excelentes partilhas, pela sensibilidade e suavidade do que oferece sempre

o poema está lindo, parece que a revejo em cada verso que lhe dedicas

deixa que repita:

"...doce o vento
que embala
os sonos dos sonhos..."

sabes embalar e encher de emoções as palavras que deixas Paula.

um beijo à Wind

tu poeta Paula Raposo és um mar de palavras, um porto de abrigo feito poesia, onde gosto de ficar ancorada

o meu abraço terno

beijinhos para ti

lena