sexta-feira, 30 de novembro de 2007

O som

Para lá deste silêncio
existe o mar
que sobre os ombros
descarrega vidas
mas para cá deste
silêncio
existe um nunca acabar
de promessas...

6 comentários:

JAVARDICE disse...

Muito bonito, parabéns!
Antonio

wind disse...

Que escolher? O mar ou o acabar das promessas?:)
Bom poema:)
Beijos

Amaral disse...

Acho que os teus poemas estão mais soltos e mais vivos.
Aliás, acho que está em forma a tua facilidade de fazer poesia...

efeneto disse...

Ontem, ao fim da tarde
O amor é uma ave irrequieta
que tenho na garganta.
É voo de cegonhas
ou de milhafres.
Asas secretas e breves
Umas nítidas e sem tempo outras não.
Assim sobrevoo os flancos da madrugada
me dispo dentro das palavras
plano num campo de estevas
e abraço o cheiro da maresia.
Como ontem,
deixo aqui uma cascata de palavras
para lhe desejar um bom fim-de-semana.

Lumife disse...

O mar sempre uma preferência dos Poetas.

Bom fim de semana

Beijos

lena disse...

doce Poeta

o mar sabe cantar e a minha alma é feita de maresia

ler-te assim em silêncio, senti o bater de cada onda, numa melodia encantadora, como a tua poesia

um abraço forte, onde vai a minha ternura

beijinhos

lena