segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Dunas

Pelas dunas de um desejo
incontido falaremos dos sonhos
que algures esperam
que não se afastam
e que se aproximam
e falaremos de outras
partidas e de outros regressos
na voz murmurada
de um único amor.

8 comentários:

António Sabão disse...

Lindo como todos! :-)
Beijinhos

Bernardo Moura disse...

Muito bonito!

Mocho-Real disse...

Os ventos moldam as dunas e vão-lhes modificando as formas, mas nunca deixam de ser dunas.

Um abraço.

peciscas disse...

Há sempre sonhos à espera.

wind disse...

"Dunas, são como divãs...":)
Muito bonito:)
beijos

lena disse...

Doce poeta e querida Paulinha

um belo poema que hoje nos presenteias

um sentir único,

uma voz segregada,

um sonho de esperança

e no desejo do amor

surge a duna



é tão perfeito o que das tuas mãos brota que me baloiço em cada verso teu, és única por momentos.

a ternura do meu abraço, carregado de carinho

beijinhos para ti Paulinha

lena

Um Momento disse...

E gostei:)))))
Paula trago miminhos de mim para ti
Com carinho e ternura abraçada na Amizade
Cada um deles com um beijo... a ti, no teu coração
Bom inicio de semana te desejo:)))

Beijo imenso
(*)

Å®t Øf £övë disse...

Paula,
Quando os sentimentos são verdadeiros e puros, não há partidas nem regresso que nos afastem.
Beijinhos.