quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Lágrimas

Beijo-te as lágrimas
salgadas chorando
contigo a dor
da solidão
num lamento urgente
apertando-te forte
num abraço triste
beijo-te premente
na ânsia de te
compreender.

15 comentários:

wind disse...

Um poema de aconchego, protecção e ternura.
Belo.
beijos

Kalinka disse...

PAULA
É IMPERDOÁVEL a minha ausência do seu blog...
Não sei explicar o motivo, desânimo pela Vida, será? ando arredada dos blogs amigos...sem explicação plausível, peço desculpas.
Sei que se inicia em breve um mês que me deixa muito deprimida - Dezembro.
Não sei se leu as minhas desventuras pelo Egipto, tudo isto faz alhear-me do que é bom...acabo por ser eu quem mais perde, que fazer?

POR CÁ...cada dia que passa, as pessoas não têm tempo para NADA...no entanto, estamos a chegar a uma época do ano, a mais hipócrita do ano - parece que todos se vão lembrar de todos...rrssssssss, que raiva!!!

Eu nunca me esquecerei do País que me viu nascer:
"Cahora Bassa é nossa" foi a célebre frase que mais se ouviu ONTEM em Moçambique!!!

Beijitos.

Friedrich disse...

Em cada beijo que dou é uma porta que se abre no coração... Umas vezes de simples e pura amizade, outras, de um fogo ardente cheio de amor, que nos arrebata toda a lucidez...


Um beijo meu!

In Loko disse...

Lindo estas "Lágrimas" Paula!

E sem dúvida que, com abraços e beijos pode-se compreender muito!!

Beijinhosssssssss

António Sabão disse...

Muito bonito! Parabéns por mais este belo momento. :)

LuzdeLua disse...

Lindo poema. Deixo-te beijos com carinho também.
Bjs

Um Momento disse...

Lágrima que rola
Lágrima que sente
Lágrima que beija
O teu coração
E eu te abraço urgente
Beijo grande!
(*)

Gui disse...

Beijar as lágrimas daqueles que sofrem. A solidariedade no seu estado mais puro. Bonito!

peciscas disse...

É premente a ânsia de comprender os outros.
E nem sempre se consegue.

poetaeusou . . . disse...

*
num lamento urgente
*
bji
*

Papoila disse...

Lindo poema de quem beija as l�grimas num abra�o urgente... Lindo!
Beijos

lena disse...

Paulinha

lágrimas que rolam hoje no poema que nos deixas

lágrimas com sabor a sal, feitas de solidão, no sabor triste do abraço que não se deu

a ânsia comprime a lágrima...

cada verso é ternura e o poema emoção

um beijo meu e um abraço muito forte

lena

axadresado disse...

OLÁ MENINA ESPERO QUE ESTEJA TUDO BEM POR AÍ.
LINDO POEMA.
BJS

Vieira Calado disse...

Só para dizer-lhe que estou basicamente de acordo
com o diz, mesmo ao lado...
e até "Não tendo 5 blogs a desafiar..."
Beijinhos

Nilson Barcelli disse...

Tão triste.
Tão belo.
Um excelente poema. De carinho e ternura.

Beijinhos.