domingo, 6 de janeiro de 2008

Sono

Adormeço nos teus braços,
como sempre o fiz e sempre sonhei,
adormeço numa estonteante
paleta de sabores e sons,
de cores e de gestos,
adormeço em ti
como sempre hoje,
como amor de amar
véspera de mim.

8 comentários:

wind disse...

Belo e bom jogo de palavras.)
beijos

Å®t Øf £övë disse...

Paula,
Hoje venho ofereço-te este Presente de Ano Novo, porque me parece que ele é feito mesmo à tua medida, e acredito que não te irá tirar o sono...
Beijinhos.

A. João Soares disse...

Adormecer os sentidos com os sonhos de cores e olores na véspera do êxtase total, na antecâmara da explosão de prazer. A concentração num misto de generosidade de carícias e da preparação da explosão do mais selvagem deleite da paixão. Uma simbiose de tu e eu, em que ambos usufruirão da celestial subida ao céu nas asas de Eros. em que ambos recebem mais do que dão, num milagre da multiplicação da Luxúria.
Mas... não sou capaz de pôr em verso, por falta do estro poético!!!
Beijo de amizade
João

A. Jorge disse...

Curto e maravilhoso, como já habituaste quem te lê!

Um beijo

Jorge

http://vagabundices.wordpress.com/

Amaral disse...

A paleta estonteante que dá vida ao dia seguinte...
Como sempre, o hoje tem mais valor! Ainda que do sono, apenas o sonho se recorde...

Mocho-Real disse...

Sonhos coloridos nesta envolvência de palavras e sentires!

Um abraço e boa semana.

Pedro Arunca disse...

Adormece, como sempre, numa paleta de gestos, em ti, como amar de véspera.

Pões fermento nas palavras?
Fazes tanto com tão pouco!

Beijos

Antonio Sabão disse...

Execelente!