quarta-feira, 11 de junho de 2008

Ocasião

Hoje visto o vestido das ocasiões solenes.
De linho branco sem mangas, com um cinto entrançado a branco e preto.
Vou buscar uma pá à arrecadação.
Afasto-me no campo e cavo um buraco muito fundo.
Atiro lá para dentro todas as saudades, um sem fim de beijos e abraços e muitas flores já secas, sem nome.
Cuidadosamente tapo o buraco.
Suspiro de alívio e volto a casa para o brinde.
-Finalmente, enterrei-te!

10 comentários:

peciscas disse...

Parece ser, de facto uma ocasião solene e importante.
Às vezes é mesmo preciso fazer tudo isso:libertarmo-nos de velhos fardos e sumi-los da vista.

Menina_marota disse...

Palavras que espero sejam de esperança de um renovar de Vida, da alegria, do Amor...

Adorei a forma como descreveste o vestido... lndo!

Fiquei muito sensibilizada por partilhares aqui o meu convite para o lançamento do " Um desnudar de alma".

Beijinhos e grata pela partilha ;)

wind disse...

Boa, gostei:)))
Beijos

Ácido Cloridrix HCL disse...

Sem duvida,,, há q ter força p enterrar memorias q nos atormentam,,, mesmo q sejam saudosas e fiquem p sempre imortalizadas nas nossas memórias,,, mas a vida continua, temos de seguir em frente!!! Beijocas,,, HCL

António disse...

Para grandes males, grandes remédios...
Não é, Paulinha!

Beijinhos

poetaeusou . . . disse...

*
háááá valenteeeeeeeeeeeee ! ! !
,
jinos
,
*

Eduardo Aleixo disse...

Poema bonito de libertação e de regeneração.
Agora estás livre.
O teu vestido novo, seja qual for a côr que tenha, merece uma festa grande. De amor.

Eduardo Aleixo

Nilson Barcelli disse...

Mulher decidida vale por duas...
Gostei do teu texto/poema pela determinação que soubeste colocar nas palavras.

Beijinhos.

A. João Soares disse...

Hossana,
O presente mata o passado. É natural. O passado se era triste não traz prazer à memória. Se era alegre torna mais difícil suportar a realidade do presente. Então «morra o pasado, pum».
É preciso viver o presente a 100%, tirando todo o benefício das circunstâncias positivas.
Que seja feliz, muito feliz, sem quedas de qualquer natureza!!!
Beijos
João

Bruno Carvalho disse...

Gosto!