domingo, 1 de junho de 2008

Desenho

Desenho com um lápis
acabado de afiar,
os traços que contornam
o teu rosto
onde a barba se destaca,
mas não sei desenhar
o tom da tua voz.

Talvez o pinte de azul
maresia
e o acaricie
num longo gesto,
pronunciado
pelo bico do meu lápis,
junto à nascente
do dia
com a sofreguidão
da maré.


No tempo de querer...

6 comentários:

wind disse...

Lindo!
Beijos

Laura disse...

Que lindo..e toda a simplicidade num lápis acabadinho de afiar, ah como a escrita varia de mão para mão, e como se consegue tirar dali palavras tão belas!...
Um abraço da laura do resteas...

Dad disse...

Tamb�m gostei muito de te rever, Paula!
E andei agora por aqui a ver as tuas mais recentes palavras....lindas!

Beijinho e bom fim de semana!

Eduardo Aleixo disse...

Poema lindo, Paula, com sabor a maresia.
A cor azul fica-lhe bem.
Imaginei-te a escrevê-lo, sentada na beira-mar, rodeada de algas e de conchas.
Um quadro bonito.
Dentro dele, tu, o mar e o teu poema.
O quadro, no bico de uma gaivota, voando.
Um bom dia para ti.

Eduardo Aleixo

A. João Soares disse...

O mar, cor azul, o lápis e a criatividade do artista, neste caso da artista, poeta que desenha imagens maravilhosas com as cores das palavras que domina na perfeição.
Campo imenso para a investigação do psicanalista até descobrir uma alma cheia de felicidade e fantasia.
Beijos
João

Vitor Lopes disse...

Gostei
Não tenho um vocabulário cheio de palavras, mas o gostei ainda lá está.