sexta-feira, 6 de junho de 2008

Areia

A areia estava macia,
alongava o meu horizonte
e sentia a brisa voraz
do teu canto doce,
era final da tarde
e nos teus braços
perdemos a noção
do tempo inexistente.

Deixo fluir o encantamento
percorrendo as tuas mãos,
desfazendo-me na areia,
envolvendo-me por ti...

13 comentários:

Eduardo Aleixo disse...

Olá.
Bom fim de semana.
Eduardo Aleixo

Maria Clarinda disse...

Lindo o teu poema...adorei!
Bom fim de semana.
Jhs mil

wind disse...

Lindo!:)
Beijos

Graça Pires disse...

Deixa fluir o encantamento...
Um beijo.

poetaeusou . . . disse...

*
areia,
,
em visual, muro,
,
jinos
,
*

A. João Soares disse...

Mais um lindo poema, com ideias, sensações e alusões no reino das fantasias, mas em ambiente concreto. A areia macia que percorre as mãos escorrendo pela ampulheta que se alonga na voracidade do tempo que se esvai, parecendo inexistente. Areia, mar, ondas, música da ondulação soprada pela brisa do entardecer. Onde iríamos se fugíssemos à poupança das palavras?
Mas poupar palavras é um dom de poucos, dos privilegiados, como é esta Paula que nos delicia com tão bela poesia diariamente. Que nunca te falte a inspiração para não nos faltarem os produtos dela.
Beijos
João

Vieira Calado disse...

Quase como num sonho, não é, amiga?
bjs

tulipa disse...

Hoje, decidi vir sentar-me aqui um bocadinho. Estar a sós contigo, ler-te, apreciar o teu talento. Precisava desta paz, deste encantamento, do calor das palavras.

...simplesmente adoro o que escreves... Apetece mergulhar em palavras tão doces que transmitem imensa tranquilidade.
Estou rendida.
calam-se as palavras no espaço e no tempo...

Beijokas e bom fim de semana.

Gui disse...

Obrigado Paula pelas tuas visitas e pelo teu interesse pela evolução da minha saúde. Graças a Deus as coisas estão a melhorar. Espero voltar em pleno dentro em breve. Um beijo minha amiga.

Luís Nunes disse...

Belas palavras de alguém cheio de sensibilidade,gostei

abraço

Pena disse...

Linda Amiga:
Um belo e sensível poema descoberto na areia macia e terna do seu sentimento puro.
Incrível de beleza e harmonia.
Sensacional.
A sua capacidade poética vive e respira na imensa significação do que é.
Gostei muito.
Beijinhos amigos de admiração e encanto.

pena

Å®t Øf £övë disse...

Paula,
Parece que finalmente com a melhoria do tempo a areia começa a puder ser pisada, e a permitir-nos todos esses sentires.
Beijinhos.

© efeneto disse...

Já não venho a tempo de desejar bom fim-de-semana porque o tempo não deu.
Apenas tenho tempo de desejar uma óptima semana cheia de sonhos concretizados.
Porque o tempo agora me permite fica a promessa que voltar para “perder tempo” consigo.
Até lá perca tempos nestes;

Caminhos

É na busca ocasional da poesia
que fulgentes luas me habitam.

Como doem as portas cerradas!

São pedras floridas de musgo
caminhos que ninguém pisa.

Sobra o portal do templo
arcaria que o tempo emoldura.