terça-feira, 3 de junho de 2008

Busca

Procurei incessante
o arco íris com surda força
com raiva e com loucura
e ele desaparecia sempre
quando eu não esperava
e eu procurava procurava
buscando além do risco
a força intemporal
de todas as cores.

7 comentários:

wind disse...

Continua a procurar:)
Bom poema:)
Beijos

Eduardo Aleixo disse...

Lindo poema, Paula. Costuma dizer-se que quem procura sempre alcança.
Um beijo.

Eduardo Aleixo

poetaeusou . . . disse...

*
arco-iris,
ali,
e
lá . . . longe,
,
conchinhas
,
*

DelfimPeixoto disse...

Hoje faço anos

Lumife disse...

...Mas pelos vistos encontraste...
Parabéns pelo momento de paixão. É o que se leva desta vida.


Beijos

Å®t Øf £övë disse...

Paula,
Quando nós muito procuramos que algo aconteça, acontece sempre... não acontecer. Agora quando estamos desprevenidos... acontece... o arco íris aparecer...
Beijinhos.

A. João Soares disse...

Quando não aproveitamos a sorte que passa ao alcance da nossa mão, de nada vale ficar desesperado, porque ela poderá voltar e então há que estar atento e não a deixar fugir. Um dia o teu arco-íris voltará por entre as nuvens. As nuvens precedem o bom tempo, tal como as crises trazem melhorias, inovações. Haja esperança!!!

Beijos
João