quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

Sabes?!


Sabes que o silêncio
me perturba
quando não o procuro
e ele se instala
longas horas?!

Sabes que o silêncio
me magoa
quando não o procuro
e ele se instala
longos dias?!

Sabes que o silêncio
me cansa
quando não o procuro
e ele se instala
longos anos?!

E sabes que o silêncio
me desafia
quando o procuro
e ele se instala
por toda a vida?!


Foto: Viajantis

26 comentários:

korrosiva disse...

Adoro estar em silencio, mas forçado ninguém o deseja :{

beijinhoss

Fenix disse...

Muito bonito!
Também é o que sinto..., quanto ao silêncio...
e neste momento ele procura-me, mas eu não o procuro...

Bom Ano
Beijinhos
Fenix

MPereira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
A. João Soares disse...

Querida Paula,
Poucas coisas impostas sem serem desejadas nos dão satisfação. O silêncio forçado e continuado fere, por ser ruidoso demais!
Mas, também a barulheira louca de incontrolados entusiasmos injustificados de uma passagem de ano consumista e de ostentação que as pessoas ainda não aprenderam com a crise que o dinheiro é escasso e muito valioso e não deve ser esbanjado em troca de alucinações imbecis de efeitos que podem ser dramáticos. Como a loucura continua, parece que 2009 não deve trazer melhorias...
Mas tenhamos esperanças, que elas nunca faltem. Porém, atenção, a sorte não cai no prato sem a merecermos (a não ser a alguns indivíduos sem escrúpulos, que não olham a meios nem respeitam os que por eles são transformados em vítimas e vivem de expedientes ilegítimos e de «habilidades»).
É preciso em cada momento fazer o melhor que seja possível, para chegar à noite com o espírito contente com a obra feita.
Devemos manter presentes as palavras bonitas que ouvimos, pensámos e dissemos nesta época de Festas e fazermos delas as regras do nosso comportamento durante o ano, agindo segundo o resultado das nossas reflexões, sem seguirmos cegamente o isco da publicidade e do consumismo doentio.
Desejo que 2009, apesar das dificuldades, seja um Bom Ano no aspecto de riqueza interior.
Abraço
João

OrCa disse...

Sabes que o silêncio quando se abraça a uma palavra faz nascer a poesia?

Sabes que o silêncio já transformado em poema pode redimir toda uma vida?

Claro que sabes...

Beijos e... vamos em frente!

Eduardo Aleixo disse...

Falar do silêncio...
De que silêncio falamos?
Do que nos enche a alma?
Ou o do espelho do vazio que nos sufoca?

Beijo.

Que bom o promeiro silêncio...Sem tempo. Eterno.

Osvaldo disse...

Olá Paula;
Nada melhor que começar o Novo Ano apreciando e lendo tão belo poema.
"Sabes..." é um poema que faz reflectir e pensar que o silêncio perturba, magoa, cansa e desafia e que cada um de nós deverá quebrar o silêncio para que não nos sintamos tão sós.
bjs
Osvaldo

Ps- Pour la photo du Cigne, tu peut toujours les utiliser, parce que je sais, de toi, elles auront bonne utilisation et application.

wind disse...

Belo poema!
Beijos

Je Vois la Vie en Vert disse...

Ma chère Paula,

Tant que je continuerai à être ton amie, je ne permettrai pas que tu restes dans le silence quand tu n'en as pas envie.
Mais quand tu en auras besoin, je me retirerai discrètement et respecterai ta volonté !

Bisous bien verts d'espérance

FERNANDA & POEMAS disse...

Querida Paula, belíssimo poema com toda a lógica... São assim os grandes poetas!!!
Tu fazes parte desse grupo!...
Grata por seguires o meu cantinho dos Pensamentos... Um grande Abraço Amiga,
Fernandinha

Ricardo disse...

Não aguento o silêncio!

Beijo

Justine disse...

E assim transformaste o silêncio em belos sons poéticos!
Que este ano que hoje começa seja de desafios a ganhar:))

Viajantis disse...

um bom exercicio é aprender a ouvir o silêncio....

FERNANDA & POEMAS disse...

Querida Paula, no primeiro dia deste Ano 2009, quero agradecer a um ser superior, que me fez conhecer-te... Deixo-te um grande abraço de amizade,
Fernandinha

Mateso disse...

Mas não é nele que repousa o "EU" tão nosso?
Lindo
Bj.
.............
Sensibilizada pelas palavras no meu azul
Bj.

Ana Martins disse...

Amiga Paula,
No refugio do silêncio, nascem poemas magnificos, como este que hoje partilhou connosco, e como muitos que já tive o prazer de ler.

Adorei!!!!

Beijinhos

Amaral disse...

Perturba, magoa, cansa e desafia...
É natural!...
Ele persistirá enquanto não fôr entendido. Talvez seja essa a razão... Ou talvez não!...

© Piedade Araújo Sol disse...

há silêncios que magoam, como palavras feitas facas afiadas.

um poema feito saudade....

deixo um beijo

Isabel disse...

adorei este poema ...

mas sabes ...

eu gosto do silêncio ....

beijinhos

mfc disse...

esse silêncio magoa muito!

peciscas disse...

Este teu poema, para mim, tem um significado muito particular.
É que eu sou uma pessoa que, com alguma frequência, procura o silêncio.
Mas, quantas vezes o silêncio que alguém pendura em nós se torna insuportável?

Maria Clarinda disse...

Sabias que o som do silêncio não existe?
Sabias que nunca estarás só com o silêncio,se não o quiseres, porque eu não deixarei?
Mas...sabias que o silêncio...é tão preciso por vezes!!!Por isso este sentimento incompreendido que temos por vezes com ele!
Lindo, lindo o teu poema!!!
Jinhos muitos

Amita disse...

O silêncio tanto nos diz, tanto nos fala... e este deslizou nos teus dedos maravilhosamente.
Adoro a partilha desta "nossa" música. :)
É sempre um prazer vir ler-te, Paula.
Um bjinho e um Ano de magníficas palavras, Amiga. Tudo de bom para ti.

Graça Pires disse...

Um silêncio demasiado ruidoso, esse...
Um beijo Paula.

vida de vidro disse...

Sabes agarrar as palavras no ventre do silêncio. :)
Belo**

De Amor e de Terra disse...

Felicidade a minha por o silêncio se ter instalado quase sempre, para sempre, e ser bem-vindo.
Alegria a minha, porque ele já me não dói; às vezes, no entanto, esconde-se nas têmporas e verrumando a alma, abre pequenos orifícios onde o trigal do tempo
vem matar a sede.

Beijos

Maria Mamede