segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Até ao limite


Serenamente
envolvida pelo vento
parto num corcel
e do ar anil
a mágica densidade
sulca os meus sentidos
até ao limite
da velocidade
tempestuosa
de um momento.


Foto: Viajantis

40 comentários:

Branca disse...

Têm momentos que gostaríamos que passassem lentamente mas que voam, nos deixando com uma sensação de vazio.

Boa semana pra ti,
bjos.

Jaime A. disse...

É no limite que se passa tudo...
Sim, os nossos sentidos são sulcados.
Gostei

Odele Souza disse...

....da velocidade tempestuosa de um momento.."

Lindo.

Osvaldo disse...

Olá Paula;
Como será possivel medir a velocidade de um momento ?... Só os grandes poetas (como a Paula) o conseguem fazer.
E esse Corsel Unicorne que se embrenha no infinito Azul Anil de todos os sonhos !...
Obrigado Paula por nos fazer percorrer o Mundo dos Sonhos...
bjs

Clarinda Galante disse...

Posso partir nesse corcel contigo?
Está simplesmente belo...cada dia surges com poemas mais bonitos.

A foto do Viajantis linda tb. JInhos muitos

wind disse...

Gostei.
Beijos

Nuno disse...

Não gostei muito... mas... continua! :)

Angel of Light disse...

Olá querida Paula!

Li os teus últimos posts e digo-te, do fundo do meu coração, o que já me disseste antes: "Ando(as) a aprender"... sim disponibilizaste-te para a aprender, cada vez mais,... e fico tão feliz por isso. É o que sinto através das tuas palavras... Continua!

Beijinhos de Amor e Luz!

Justine disse...

As fulgurações, há que saboreá-las - até ao des-limite!

Ana Oliveira disse...

Paula

Foto e palavras...quase via láctea...dos sentidos.

Boa semana

Beijos

Ana

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA PAULA, A PAIRAR NO AR DO NOSSO ENCANTAMENTO, DEIXAMOS A TERRA, SONHAMOS ATÉ VOLTAR!...
BELA FOTO DO VIAJANTIS... PARABÉNS PARA OS DOIS,
FERNANDINHA

Isa disse...

Numa corridinha,passei para te dizer q.tens selo no meu "canto".
Volto mais tarde,para te ler.
Beijo.
isa.

Eduardo Aleixo disse...

Bom dia, Paula. Gostei muito. E também da foto. Está mágica.
Beijo.
Eduardo

PreDatado disse...

E como um momento é rápido. Acho que o momento é mais rápido que a própria velocidade.

O Faroleiro disse...

Muita sensibilidade e astúcia na escolha das palavras e da imagem...
Gostei muito

Fique bem

mundo azul disse...

________________________________

...há momentos que sobrevivem à própria vida!

Lindo!

Beijos de luz e o meu carinho, Paula...

__________________________________

A. João Soares disse...

Os momentos fogem a galope. Todos os momentos. E como a vida é o somatório deles todos ela esvai-se e... acaba, um dia.
É a fragilidade dos seres vivos, que não pode ser superada pelos sonhos de eternidade.
Beijos
A. João Soares

Mariazita disse...

Há momentos que duram uma eternidade!
Gostei!

Beijinhos
Mariazita

Nilson Barcelli disse...

É bom testar os nossos limites.
Ainda que por um momento.
E é bom o teu poema, gostei imenso.
Beijo.

Carlos Barros disse...

Vejo em teus escritos, o êxtase de momentos imensuráveis. E no relance te faz correr à torna-los impressos.

Abraços.

Isabel Branco disse...

Passei e parei...
captei o momento
e dele respirei
o anil encantamento!

Um abraço, no elo da poesia.

Devaneante disse...

Não sou um bom apreciador de poesia (defeito meu, não de quem escreve) mas gostei do que li aqui. Voltarei para ler mais e para continuar a aprender a apreciar.

Ana Martins disse...

Olá Paula,
a vida é feita de momentos, e há deles que permanecem eternos nas nossas memórias, bem juntinhos ao coração!

Gostei muito, beijinhos,
Ana Martins

De Amor e de Terra disse...

...como um cometa de cores!

Gostei muito!
Beijos


Maria Mamede

Viajantis disse...

....serena tempestade e tempestuosa serenidade.....antagonia, tal como num turbilhão de sentimentos, querer e não poder, poder e não querer....

Carla disse...

uma serenidade...vertiginosamente bela

Amiga deixei um selo para ti nos "Desalinhos", reparei que já te foi atribuído, mas se o puderes ir buscar ficava muito feliz
beijos

vício disse...

cuidado com os radares!

peciscas disse...

A vertigem de um momento que fica gravado na memória.

Lumife disse...

uma só palavra define o teu poema: EXCELENTE.

Bjs

mfc disse...

A intensidade do momento.

Vieira Calado disse...

Bem feito!

Não é preciso escrever muito.
É preciso é saber usar palavras ritmo e algum substrato.

Deixo um beijinho.

Laura disse...

Obrigada pelo carinho...Dá-me boleia no teu corcel, ai amiga, que bem me faria... apesar da alegria tão sentida, minha alma ainda precisa d ebelos passeios de corcéis sobre as nuvens sem nuvens...Um abraço sentido e obrigada peloc arinho. laura..

Carlos Barros disse...

Os limites perseguem-nos...

beijo

tinta permanente disse...

Para além de um momento é... talento!

abraços!

Amaral disse...

"Serenamente... um momento"
No seu interior, o galope transportado pelo vento, no limite mágico dos sentidos...

vida de vidro disse...

Até ao limite da beleza das palavras! **

Passaro Azul disse...

Querida Paula,
Cada poema teu, é um hino de extraordinária beleza crescente.
O meu abraço para ti.

pin gente disse...

olhei o céu
no lugar da tempestade
encontrei estrelas
mil cores
relâmpagos de festa
girândolas de fogo
intenso
disparos de luz verde
esperança
e eu
criança
suguei a felicidade
só de vê-los



um beijo, paula

© Piedade Araújo Sol disse...

a foto é lindissima.

o teu poema curto e bom.

um beij

Persida disse...

Amiga Paula, este poema é muito bonito gosto imenso dela vou pôr na minha pintura, pois me permitistes de o fazer, e desde já agradeço. Recebe meus abraços de amizade.
Persida Silva