segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

Gosto de ti

Sabes que gosto de ti?
Já to disse?! Disse?
devo ter dito...
e tu não entendeste,
equivocaste-te
no dia e o dia
adormeceu
e a noite...

Sabes que eu gosto de ti
e que to disse
e que devo ter dito
e tu entendeste
e equivocaste-te
e naquele dia
em que eu te declarei
o quanto te amava
tu te perdeste
e na penumbra
inexistente
tu morreste
mais um pouco.

Não para mim. Isso não.
Eu gosto sempre de ti.

21 comentários:

wind disse...

Gostei do "jogo" de palavras, da construção do poema e será que ele morreu, ou assustou-se?:)
Beijos

Odele Souza disse...

Obrigada Paula por confirmar sua adesão à Blogagem Coletiva de Flavia, dia 17.12. A divulgação levará pessoas a conhecer a história de Flavia, onde fica evidente a NEGLIGÊNCIA e a IMPUNIDADE.

Então,até o dia 17 de Dezembro, quando os blogs poderão estar mostrando seu poder de comunicação na divulgação de histórias como a de Flavia, apenas um exemplo de desrespeito aos direitos humanos de todos nós.

MARTA disse...

Poema interessante e realista...
Egoísmo, falta de interesse, medo??
Gostei muito..
Obrigada
Beijos e abraços
Marta

JAVARDICE disse...

Gostei muito deste poema! :)
António Sabão

Anónimo disse...

Que lindo este gostar para além do gostar!
Carla

poetaeusou . . . disse...

*
sabes que eu gosto de ti . . .
*
bji
*

peciscas disse...

Mais um dos momentos intimistas que aqui temos colhido.
Tu cultivas a simplicidade das palavras para descrever a profundidade dos sentimentos.

LuzdeLua disse...

Lindo poema. Passando para te deixar um beijo.
Bjs

Peter disse...

Tens um estilo de poesia que me agrada. Sempre me tem agradado, mesmo antes do lançamento do teu livro de poemas "Canela e erva-doce".
Tenho passado por aqui, mas ultimamente não tenho deixado comentário. Tem sido “noite escura”. Mas eis que “o sol voltou a brilhar” e com ele a tua poesia. Não sei se terá a ver com o tema do poema, mas terá seguramente a ver com a disposição da poetiza.
É um belo poema, acho eu, que não sou crítico. Poderá ter um destinatário, ou ser simples divagação poética, só a autora o sabe.

Å®t Øf £övë disse...

Paula,
Gostas dele porque gostas,
Gostas dele porque sim,
Gostas dele, mas aposto,
Que ele também gosta de ti.

Beijinhos.

A. João Soares disse...

Que forma bonita de aplicar a poesia para traduzir as dificuldades da comunicação. Esta só é eficiente quando procuramos que a outra pessoa perceba receba com clareza, sem erros, a mensagem que lhe transmitimos.
A complexidade da vida moderna dificulta a compreensão das mensagens. E quem as emite nem sempre é claro. Existe até, muitas vezes a mania de complicar, para se dar ares de intelectual, como era o caso de Sampaio ao fazer os discursos de PR.
Beijinhos
Do Miradouro

Cöllyßry disse...

O real torna o poema mais belo, mesmo sendo triste, um pouco...

Bjca doce

Sophiamar disse...

Gostei muito deste poema.
É gostoso gostar de alguém. E da retribuição.
Beijinhos

In Loko disse...

Adoro este teu jogo de palavras!

Acho que ele (ele é sempre algum, alguém)... te gosta, da mesma maneira como o gostas!!!

Beijinhos Paula!

Isabel-F. disse...

que lindas palavras ...


que belo poema ...

gosto de te ler.


e... gosto de ti.

beijinhos

TINTA PERMANENTE disse...

Um quase palpável murmúrio de água escorrendo da fonte. Límpida!...
(mesmo que o viandante não saiba o sabor da sede)


abraço

Papoila disse...

Gosta-se porque se gosta.
Do poema gostei muiti.
Beijos

lena disse...

tu sabes que eu gosto de ti muito

tu sabes que eu gosto deste teu jogo de palavras

tu sabes que eu gosto da tua poesia

tu sabes que eu gosto de te ler

tu sabes que eu gosto...

e que muitos gostam!


abraço-te poeta linda

beijinhos para ti

lena

jorge@ntunes disse...

tu fugiste... obrigado por voltares...

bjsss

:)

António disse...

O amor nem sempre é a dois...
...quantas vezes é só a um!

Beijinhos

paranoiasnfm disse...

Adorei. Bom texto.