quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Delírio

Não existe limite
à imaginação
delirante
o tempo é exíguo
mas os sonhos
prosseguem
a sua marcha
inesgotável
abrindo brechas
no fantástico.

6 comentários:

JAVARDICE disse...

Delírio fantástico! Parabéns por mais estas belas palavras! :)
Bjs
António Sabão

poetaeusou . . . disse...

*
sonhos,
brechas delirantes,
do tempo ... real ...
*
xi
*

Anónimo disse...

O limite é mesmo o sonho e esse é infinito.
Gostei das tuas palavras
Carla

wind disse...

Verdade o que escreveste:)
Beijos

Å®t Øf £övë disse...

Paula,
Há quem diga que a vida se assemelha muito a um delírio.
Beijinhos.

A. João Soares disse...

Palavras de poeta, de filósofa, de artista sonhadora. É prweciso dar guita aos sonhos, deixá-los vioar, sem nunca os atrelar a algo de obsoleto avesso à liberdade.
Abraço