quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Escuto-te

Na paragem
de um tempo olvidado
não deixo de ouvir
o amanhecer
de um sorriso,
não deixo de ouvir
o silêncio
de uma voz.
Escuto-te...

7 comentários:

António Sabão disse...

Amanhecer de um sorriso? Belas palavras com sempre! :)
bjs

Bruno Carvalho disse...

Muito bonito este poema!

wind disse...

lol últimamente só me fazes lembrar músicas ou filmes.
Hoje foi o "silêncio dos inocentes":)
O silêncio ouve-se sempre porque nunca há silêncio absoluto.
Beijos

Peter disse...

Este é um poema que eu considero muito bom. Porquê? Porque gosto dele.
"Na paragem de um tempo olvidado (...) Escuto-te..."

Escutas quem?

Seria indiscrição querer sabê-lo.

peciscas disse...

Há vozes que nos dizem muito nas entrelinhas do silêncio.

In Loko disse...

E no escutar os silêncios tanto se ouve... não é Paula!!!

Beijinhossssssssss

Isabel-F. disse...

Gostei muito ....

_______________

vai até ao meu Blog ...


beijinhos e bom dia