segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Outro futuro


Falaremos de ninharias
e utilizaremos palavras
de todos os dias
escreveremos lugares comuns
a lápis
e comunicaremos
por gestos
quando o sol adormecer
e as estrelas
tomarem de assalto
o céu...


Foto: Rui

42 comentários:

wind disse...

Nostálgico.
Beijos

Ana Martins disse...

Amiga Paula,
E esse será "Outro Futuro", tal e qual este!!!!!!!

Muito bom!

Beijinhos,
Ana Martins

j. monge disse...

É tão difícil ser simples...

Sonia Schmorantz disse...

Escrever à lápis significa que pode ser apagado...assim é o futuro, incerto e cheio de surpresas.
um abraço

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Ah! Tempo!
Nunca quis voltar em ti.
Apenas espero que me devolvas
os sentimentos que vivi.
Não deixes que meu sorriso
se perca pelo cansaço
e que minha voz
se cale por um fracasso.
Não deixes que meus caminhos
se desviem da meta
nem que os percalços
sejam maiores que minha força
para que eu siga esta reta.

Passei neste lindo espaço para te desejar uma linda semana
Abraços

Fenix disse...

É assim quando se está bem com quem se está..., estamos como se estivéssemos connosco próprios!
E não queremos perturbar o espectáculo das estrelas com as palavras...
Gostei muito!
Beijinhos

Fenix disse...

Esqueci-me de dizer que a foto é linda!
Muito bem escolhida para acompanhar o texto.

Maria Clarinda disse...

E serão belos esses momentos, por muito tempo.
Lindo o poema. Jhs
Parbéns ao Rui pela foto, muito bonita.

pedro oliveira disse...

que assim seja.
boa semana

Isa disse...

O q.são ninharias e lugares comuns para uns, ñ o são para o poeta e para quem ama!
Beijoo.
isa.

Justine disse...

Felizes os que sabem misturar os gestos do quotidiano e os gestos de amor, num silêncio a dois.
Muito belo!

António Sabão disse...

Bonito poema e boa foto!
Beijinhos

tinta permanente disse...

...e, então, cantam os poetas!


abraços!

Osvaldo disse...

Olá Paula;
"Outro Futuro" mas só se for melhor, embora não será dificil que seja, visto a conjunra acual no Mundo.

Mais um lindissimo poema e que nós agradecemos reconhecidos.
bjs
Osvaldo

Laura disse...

Falaremos de ninharias
Tão sem sentido
Mas ouviremos o cantar
Das cotovias
No ultimo grito
Das aleluias !...

é que já faltam apenas sete dias, tudo a rimar e a encantar para que o dia não seja apenas uma sonhada utopia, mas um universo cheio de sons, e de alegrias...
Adoro-te. temos escrito pouco ou nada, mas sinto-te sempre presente no meu dia a dia...Um abraço daqueles desganar, da laura, feliz, tão feliz que parece que anda em romarias...

Eduardo Aleixo disse...

Das ninharias de que a vida +e feita...
Boa semana.
Beijo.
Eduardo

O Profeta disse...

Construí um abrigo no deserto da emoção
Os vales são as ruas de um Deus
Fecha-se a alegria da terra
Um último olhar de amor, solto dos olhos teus

Na noite tudo se perde
Mora a sombra, o desvario
A indomável vontade do amor
Tem a força de um Rio

Boa semana


Mágico beijo

xistosa - (josé torres) disse...

Talvez assim nos entendamos melhor.
Soberbo escrever lugares comuns a lápis.
Por isso é que a vida é simples, nós a tricotamos com as agulhas que queremos.
Bela foto a condizer.

Anónimo disse...

e comunicaremos por gestos, quando os nossos corpos, na escuridão, se tocarem...
Bonito Paula.
Bjinho

Licínia Quitério disse...

Saber a hora...

Beijo.

A. João Soares disse...

Conversa de quem tem pouco a dizer... E depois de o sol se por, à luz as estrelas, os gestos são mais palpáveis do que visíveis. Uma descrição rápida e simples mas muito completa e rica de significados.Parabéns
Beijos
João

SILÊNCIO CULPADO disse...

Paula

Os lugares comuns e as ninharias são o que melhor definem o ser humano.

Que as estrêlas tomem de assalto os céus e que se escreva a lápis mas não se apague.


Abraço

Maria, Simplesmente disse...

"Falaremos de ninharias..."
Só o amor sabe falar de ninharias profundas, em que cada palavra, que parece vazia, tem um valor enorme. Ninharias por vezes interrompidas pelos grandes e profundos silêncios.
Muito bonito Paula.
Maria

Nilson Barcelli disse...

Os poemas aparentemente simples não são os mais fáceis de fazer...
Gostei do teu poema, foi muito bem "desenhado", ainda que a lápis...
Boa semana, beijo.

Branca disse...

Lindíssima foto! Bem significativo o poema...


Passando pra te desejar uma ótima semana,

bjos!

Mariazita disse...

Porque me vou ausentar, a partir de hoje à noite e até meados da próxima semana, não poderei, neste período, fazer, como tanto gosto, as habituais visitas e comentários.
No entanto deixarei programado (assim espero!) um post para ser publicado na quinta-feira (Anita) e outro para domingo, que, se quiseres, podes ir ver.
Hoje ainda, tenciono publicar no Lírios.
Até ao meu regresso.
Bom Carnaval.
Beijinhos
Mariazita

Amaral disse...

O teu poema criou o ambiente propício para o sossego de estar...
Sem sobressaltos, sem vícios nem revoltas, a vida flui...

Fa menor disse...

Profundo!

A lápis, de carvão ou de aguarela, o que importa é ir pintando a vida e comunicando (a)...

beijinhos

Je Vois la Vie en Vert disse...

Os teus poemas merecem um prémio !
Ofereço-te um prémio de ouro. Se quiseres levantá-lo, viens me rendre visite....

Bisous verts

Graça Pires disse...

Falar de ninharias. Escrever a lápis. Gestos simples que dizem que as estrelas podem estar no olhar...
Um beijo Paula.

João Videira Santos disse...

Paulinha...

Sintetizar é connosco.

Há quem desperdice palavras e quem nelas resuma o calor da evidência dos sentimentos.

Disse tudo?

Acho que sim!

Obrigadinho pela visita.

Volta sempre, nem que seja na bruma da manhã...

Beijo

manzas disse...

Entrar aqui, na tamanha beleza
Numa pagina que fermenta Harmonia…
É sonhar acordado e voar na leveza
De poetizar tudo… porque tudo é poesia

Uma semana de paz e alegria…

O eterno abraço…

-MANZAS-

Lina (mar revolto) disse...

E eu tomei de assalto o teu espaço para te visitar e dizer-te que gostei muito deste "Outro Futuro"!

Beijinhos saudosos,
Lina

poetaeusou . . . disse...

*
paulinha
,
gestos estrelados
em manto de toques,
,
jinos,
,
*

© Piedade Araújo Sol disse...

a lápis ou não, ficou muito bom o poema.

a foto que o acompanha é muito bonita.

beij

Laura disse...

Comunicaremos por gestos, quando o sol amanhecer e as estrelas tomarem de assalto o céu...xi, nina, ia perguntar-te se sabes gestual...
Mas que bem se estaria, aninhados numa qualquer montanha, pertinho do céu a falar apenas com o olhar, o amor, ah, que beleza não seria...Beijinhos d alaura.

pin gente disse...

é tão "igualmente" romântico, paula
lindo


gosto muito de escrever a lápis

▒▓█► JOTA ENE ® disse...

Não te zangues cmg, mas acho que o Rui tem muito talento para a fotografia.

PreDatado disse...

Uma vez por outra a liguagem comum, a do dia a dia, também é poética.

vício disse...

vou avisar o sol para se manter desperto!
como soubeste do plano, de assalto, das estrelas?

Carla disse...

é tão belo quando os lugares comuns nos enchem de sentires doces
beijos

Mateso disse...

O sentir que perpassa sempre...
Bj.