sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Em branco


As páginas continuam
em branco
porque as palavras
gastaram o tempo
e todo o tempo
se perdeu nas páginas
em branco...


Desenhado pelo António para estas palavras minhas.

37 comentários:

wind disse...

Excelente jogo de palavras e com sentido.
Beijos

j. monge disse...

Às vezes é mesmo assim. O que não é normal é ser tão bem dito.

Amaral disse...

No trocadilho vejo um tempo sem tempo, mas também palavras que jamais perderão a sua forma de bem compôr um poema...

Sonia Schmorantz disse...

Mas ao que parece sobraram algumas palavrinhas para dar um pouco de vida ao branco!
Uma ótima sexta-feira para ti
um abraço

Mateso disse...

O vazio gasto de tempo.
Como é verdade!
Bj.

Viajantis disse...

o tempo é precioso demais para ser perdido....

Maria Clarinda disse...

As palavras nunca gastam o tempo...
Lindo como sempre este teu poema e o desenho do António.
Parabéns e jinhos aos dois

O Profeta disse...

A terra dorme em sobressalto
Um grito brota da alma
Danço com esta bruma de Inverno
Rodopia em meu peito uma estranha calma

Águas despertas, Mar bravio
Cai sobre mim um nevoeiro perverso
Uma onda estende seu manto de espuma
Açoita as pedras adiando o regresso


Bom fim de semana


Mágico beijo

Graça Pires disse...

Com o tempo as palavras voltam...
Um beijo Paula.

vício disse...

isso quer dizer que as páginas estão em branco porque... estão em branco!

MPereira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Martins disse...

Olá Paula,
e nessas páginas em branco tanto fica por dizer!!!!!

Gostei muito, beijinhos,
Ana Martins

Fa menor disse...

Uma página em branco de um livro que se vai escrevendo...

Para que as páginas não fiquem em branco,convido-te a visitar este início de voo:
http://escritariscada.blogspot.com

Beijinhos

Laura disse...

Mesmo numa folha em branco, consegue-se transmitir mil cores ao Universo dos sentires...E por isso lembrei-me do meu claudio, quando mais pequeno e eu o mandava escrever à mãe, ele ficava ali na secretária, não sem se levantar mil vezes e perguntar-me; chamas-te-me? porque não queria escrever, nem obrigado... E eu repetia a ladainha; não sais dai enquanto não escreveres essa folha à tua mãe, e mais uma vez me entregava a folha, em branco, dizia que não que não escrevia e que não queria nem lhe apetecia sujar a folha, enfim...palavras que ficarão em branco para o resto da vida!...
Beijinhos, e o António esqueceu-se de desenhar as ultimas unhas da mão!... ahhh, laura..

Justine disse...

A verdade circular!
Mas tanto que foi dito nessas tuas páginas em branco(e o desenho a sublinhar tudo...)

peciscas disse...

Contigo, as páginas nunca permanecerão em branco.

Ana Oliveira disse...

O tempo guarda as palavras, afiadas como lanças, para colorirem com o sangue que lhes sobra, as paginas que não podem ficar eternamente em branco.
Há sempre alguém como tu que as rouba ao tempo para dá-las à cor.
Há sempre alguém por perto para as saborear.

Beijos

Ana

manzas disse...

Lá fora chove o calado momento
Que repassa na alma, ansiedades…
Saltam inquietas chamas de dentro
Do meu peito, alagadas saudades

Um fim-de-semana ensopado
De paz e harmonia…
De coração ornamentado
De muita alegria

O eterno abraço…

-Manzas-

António Sabão disse...

Cheguei de manhã
Pela fresquinha
Li o poema
Gostei!

Beijinhos

Mariazita disse...

Muito lindo, o teu poema!

Novo post no LÍRIOS DO MACUÁ

Uma noite feliz

Beijinhos
Mariazita

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA PAULA, BELO JOGO DE PALAVRAS, QUE FAZEM UM CONJUNTO SOBERBO... SUBLIME... UM ABRAÇO DE CARINHO E TERNURA,
FERNANDINHA

P.S. PAULA DESCULPA ESTAVA A FAZER ALTERAÇÕES NO BLOGUE E O TEU COMENTÁRIO DESAPARECEU... BEIJINHOS,
FERN.

Vieira Calado disse...

Uma pergunta, amiga!

É o António Sabão?


Desejo-lhe um bom fim de semana.

Bjs

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Fazer amor é andar por
Caminhos da alma
Com o toque de um beijo
Sem pressa...
Sentir o roçar da mão no ombro
Daquele que caminha ao lado,
Acordar sempre com um
Eu te amo,
Renovado e sincero...
Ver juntos o por do sol,
Em silencio ler um livro
Numa velha poltrona..
Fazer amor é pisar na eternidade,
Fazer estrelas e sentir
O perfume das manhãs,
Sorrisos de sol,
Olhos de mar...
Fazer amor é realizar sonhos,
Viver na consistência do céu...

Sônia Schmorantz

Só passei para te desejar um lindo final de semana
Abraços

Aníbal Raposo disse...

Paula,

As palavras funcionam muitas vezes como a terra que necessita do seu tempo de pousio.

Depois, de tanto ficarem contidas, explodem e vêm com as cores do arco-irís.

Bom fim-de-semana

mfc disse...

Todavia as páginas que leio tuas não são em branco.
Continuas a escrever lindamente.

Eduardo Aleixo disse...

Gosto sempre de te ler.
Beijo

Devaneante disse...

Lindo e muito profundo! Adorei!

PS: Bom fim de semana!

Je Vois la Vie en Vert disse...

Amiga Paula,

As páginas à tua frente nunca vão ficar em branco porque és
uma artista !

Não sendo eu uma artista, também não deixei a página em branco do livro que abri no primeiro dia deste ano porque tenho muita coisa a partilhar.

Beijinhos verdinhos

Philip Rangel disse...

Andei pelo blogs que leem o meu..e achei vc....vim conferir e vi um alto conteudo....muito bom encontra blogs amigos novos que demonstrem conteudo...

o Entrando Numa Fria te parabeniza...

abraços

Lumife disse...

Coloquei hoje no meu blog POÉTICUS- http://osvates.blogspot.com -o teu poema ROMÃS.
Espero não leves a mal mas as tuas palavras enriquecem o meu blog.

Beijos

tulipa disse...

Olá Paula

ADOREI A TUA POESIA muito bem ilustrada pelo António.
Parabéns aos dois.

Mais uma visitinha, de agora em diante só ao fim de semana, pois durante a semana o meu tempo vai diminuir de forma considerável; ao fim de 10 meses em casa, vou regressar ao trabalho, mas...outro trabalho, outras pessoas, outro lugar.
Vai ser tudo novo na minha vida: Ano novo, vida nova!!!

Convido-te agora para que espreites algumas fotos da exposição, no meu blog "Momentos Perfeitos", este é mais um dos muitos momentos perfeitos da minha vida.

No outro blog faço uma homenagem merecida à minha Mãe.

Beijo terno.
Bom fim de semana.

DE-PROPOSITO disse...

Páginas em branco.
E tanta coisa que se consegue ler!...
Felicidades.
Manuel

Francieli Rebelatto disse...

E que sentido dar as páginas em branco? Quando as palavras já não teriam mais sentido?
Tudo é vago, tudo é tão intenso....apenas palavras, e o papel ainda em branco...

Abraços, lindas palavras

ausenda disse...

O branco das tuas palavras...coloridas!

beijos

De Amor e de Terra disse...

Parabéns aos dois!
Feliz união.

Bj

Maria Mamede

Sônia Brandão disse...

O verbo naufraga nas páginas do tempo.
Gostei do teu blog. Voltarei.
Beijos.

C VALENTE disse...

FAZ TODO O SENTIDO, ADOREI
SAUDAÇÕES AMIGAS