segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Monotonia


Falar de amor é monótono.
Escrevê-lo é perder tempo.
Perco tempo.
Monotonia.

Falar de ti é falar de amor.
Escrever-te é perder tempo.
Perco tempo.
Falo de amor.

É monótono falar de ti.
Escrever àcerca de ti
é uma perda de tempo.
Eu escrevo sobre ti.
Monotonia.

Eu falo-te de amor.
Eu escrevo-te com amor.
Perdemos tempo.
Somos monótonos
e falamos e escrevemos
e é de amor que o tempo
se perde...
em monotonia.


Foto: Viajantis

22 comentários:

wind disse...

Muito bom.
Beijos

Isabel-F. disse...

a monotonia é má para o nosso bem estar ...


gostei do teu poema.


bjs e boa semana

Carla disse...

mas é uma monotonia suave que nos encanta a alma...assim como o teu poema
beijos

Pedro Arunca disse...

Monotonia pode ser momento de reflexão e contemplação. Haja sintonia!

Bjs

Amaral disse...

Sabes que não concordo contigo, não é?...
Mas também tu não concordas, porque, não querendo falar de amor, escreve tão bem sobre o amor...
Falas de amor... porque te sentes bem a falar de amor...
Lá no fundo, é de amor que te sentes bem a escrever... é de amor que a tua poesia vive... é com amor que sabes dar cor às palavras... é do amor que vivem os teus poemas...

Eduardo Aleixo disse...

Maravilhosa monotonia.

É como a maresia

Canção do mar

Mará cheia

Maré vazia.

Beijo de búzio.

EA

Graça Pires disse...

E teimamos em perder tempo porque gostamos de falar de amor, mesmo que seja monótono...
Um beijo Paula.

PreDatado disse...

Paula é muito bonito embora eu discorde de... (será que se pode discordar de um poema?). Paro e reflicto. Inflicto, não discordo mas (mas?) diria que tenho outra ideia sobre os dois primeiros versos do poema. falar de amor não é monotonia e escrev~e-lo não é perda de tempo. A provar está o poema no seu conjunto, nem monotonia nem perda de tempo. Gostei.

Maria Clarinda disse...

(...)Somos monótonos
e falamos e escrevemos
e é de amor que o tempo
se perde...
em monotonia.

Amiga...que linda esta tua monotonia!!!
Estou contigo há uma hora pelo menos, li tudo a que tive direito...foram momentos belos.
Acabo sempre apenas por comentar aqui...porque foi o primeiro!...rs
Jinhos muitos!

peciscas disse...

Pode ser monótono (às vezes).
Pode ser perda de tempo (às vezes).
Mas a gente nunca deixa de falar de amor...

poetaeusou . . . disse...

*
escrever
com sentimento,
é evidenciar o amor,
,
jino
,
*

Bichodeconta disse...

Venho desfazer o equivoco e pedir perdão..Não sei como aconteceu, estava na hora do disparate certamente.. Mas deixei parabéns pelo fact de estarem a ser musicados poemas teus, é esse s parabéns que venho aqui reforçar..um abraço, ell

Å®t Øf £övë disse...

Paula,
O amor pode ser uma perda de tempo ser falado, quando em vez de o estarmos a falar poderiamos estar a viver. Mas nem sempre se pode viver o amor, e aí escrevê-lo pode ser não uma perda de tempo, mas uma forma de o enganar.
Beijinhos.

LuzdeLua disse...

Bela composição
Passando, deixo-te um abraço amigo e bons desejos pra semana.

Eduardo P.L disse...

Monotonia, todo amor tem! Só sente monotonia, quem tem esse amor!

Parabés!

Odele Souza disse...

Achei lindo este teu poema Paula.

Beijos

A. João Soares disse...

Lindo poema, mensagem menos boa!
Insiste, insiste!!! Água mole em pedra dura tanto bate até que fura.
Nunca se perde tempo quando se faz aquilo de que se gosta.
Peço desculpa das minhas ausências, mas o problema que tive com o computador feriu muito os meus «sentimentos». O encantamento que tinha por ele ficou muito lesado e o trabalho de tentar reconstruir coisas perdidas tem ocupado muito tempo.
Beijos
João

A. Jorge disse...

Como é que eu quase deixava escapar este?
Excepcional! Aliás como toda a tua escrita com que nos delicias!

Um beijo

Jorge

xistosa - (josé torres) disse...

A "monotonia", afinal não pode ser enfadonha e demasiado uniforme. quando falamos de amor.
Amor é isso, tudo revoltado e virado do avesso que um mortal nem consegue perceber.
Nem perde tempo.
Ou amar é perder tempo?
Nunca ...

(não tenho tido assiduidade, andei um pouco cambaleante e parece-me que me querem "esfaquear". Pos acaso estamos na época de matar o porco ... mas tomo banho todos os dias, o que não quererá dizer nada, já que há porcos trapaceiros e sujos ... são mesmo os porcos e há os outros, que tomam banho pelo uma vez ao dia)

Vou tentar ser mais assíduo.
Pelo menos até dia 12, que se nada suceder, parto para Manchester e só regresso dia 21.
Já comprei o pára-quedas e ando a ter lições de voo.
Já esbracejando razoavelmente ...

© Piedade Araújo Sol disse...

mas que bela monotonia.

achei muito bom este poema,

beij

Viajantis disse...

Falar de Amor nunca é perda de tempo!
Acreditar no Amor, também não é perda de tempo.
Esperar pelo Amor, não é perda de tempo!
Quando passar a ser perda de tempo...deixou de ser amor!

piu disse...

E o engraçado é que não há nada de que mais gostemos de falar...lindo, adorei...