quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Esquecer


Esquecer pode ser omitir
ou perder a sensibilidade,
esquecer-se pode ser
meditar nalguma coisa,
abstraindo tudo o resto
e como lembrar
é recordar-se,
sugerir ou vir à memória,
eu omito a tua presença,
perco a faculdade
de sentir,
lembro-me e esqueço
medito e abstraio-me
de ti,
deixando o verbo
para outra altura,
quando lembrar
fôr esquecer...


Foto: Viajantis

17 comentários:

Pedro Arunca disse...

Quem sente não esquece.

Não esqueças o sujeito. Ajectiva-o.

Bjs

wind disse...

Gostei muito.
Beijos

Pena disse...

Maravilhosa Amiga:
"...Esquecer pode ser omitir
ou perder a sensibilidade,
esquecer-se pode ser...".
Esquecer pode ser falta de respeito. Falta de consideração.
Não as possuem em mim e no que sou, essas "faltas", acredite genial Amiga?
Quanta beleza e encanto jorra de si. Da sua linda sensibilidade. Poética e Humana.
Aí fica o último comentário na figura de PENA! Foi e é um fim!
Beijinhos de ternura e carinho.
Sempre a espeitá-la e a estimá-la
Com uma consideração e admiração imensas.

PENA

OBRIGADO por existir, doce Amiga GIGANTE na sensibilidade extraordinária. Linda...!

PreDatado disse...

às vezes o melhor mesmo é esquecer.

peciscas disse...

Às vezes é preciso esquecer.
Mesmo que esse esquecimento seja feito de uma forma activa como tão bem ilustras neste poema.
Mais um que nos faz meditar.

Dad disse...

Que lindo está o teu Blog! Belos poemas, como sempre. Obrigada pela visita!

Beijinhos,

Verdinha disse...

Lembrei-me de te visitar e fiz muito bem porque gostei do que li !
Não quero esquecer a minha amiga Paula !

Beijinhos verdinhos

vida de vidro disse...

Um poema muito bem construído. Gostei! **

Maria Clarinda disse...

E não imaginas a alegria imensa que tenho ao ler mais poemas tueus...
Lindo !!! Tu sabes o que quero dizer...
Jinhos grandes de ternura

Viajantis disse...

por veces, lo mejor camiño es olvidar....e nunca mas acuerdarse...

Amaral disse...

O círculo fecha-se sempre, não é?
Quando o lembrar for esquecer, vem o meditar e tudo volta a ser recriado...
Quando as palavras saem sentidas trazem algures uma luz a cintilar...

Gui disse...

Temos aqui arrufo, Paulinha?

Graça Pires disse...

Nem sempre é fácil esquecer...
Um beijo Paula.

© Piedade Araújo Sol disse...

esquecer...mas nem sempre conseguimos.

o poema está bem conseguido.

beij

Viajantis disse...

é uma pena quando as pessoas fazem pro esquecer!
Gostei...

Nelson Alexandre Soares disse...

Gostei bastante. Embora o tema seja algo intragável para mim...



Stay Well

Mariazita disse...

Será assim fácil esquecer???
Não basta dizer " vou esquecer". Por vezes as lembranças não deixam...
Beijinhos
Mariazita