sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Diálogo em fim de tempo

Existem.
Insistem.
Persistem.
Resistem.

-O quê?

Os pesadelos.

12 comentários:

wind disse...

bem construído.
Beijos

João Videira Santos disse...

Paulinha, Paulinha...
Aproveito o teu post para transmitir o meu reconhecimento pelas palavras que tiveste a gentileza de deixar no meu blog.
Muito obrigado.
Aqui fica um beijo, volta sempre!

poetaeusou . . . disse...

*
já não os sinto,
,
jino
,
*

peciscas disse...

Mas, às vezes,
acabam por desistir.

TINTA PERMANENTE disse...

Os pesadelos, por vezes, são sombras da verdade. Dizem...

Abraços!

LuzdeLua disse...

Eternos pesos...

Belo

Passando para deixar aqui meu abraço, te ler e desejar um excelente findi semana.

"Segue o teu destino...
Rega as tuas plantas;
Ama as tuas rosas.
O resto é a sombra
de árvores alheias"
(Fernando Pessoa)
Bjs

A. João Soares disse...

Um pouco pessimista.
Desejo melhor disposição para aproveitar o fim-de-semana. O mesmo poema substituindo a palavra «pesadelo» por esperança, optimismo alegria, sonhos cor-de-rosa, etc
Beijos
João

© Piedade Araújo Sol disse...

como eu te entendo...

beij

A. Jorge disse...

Como eu te compreendo, querida Paula!

Um beijo

Jorge

vida de vidro disse...

Verdade, Paula. Por vezes desistem, também.

P. S.: Sim, sou eu. :))**

Viajantis disse...

não só os pesadelos, mas os chatos também, são iguais!!!
E se capricórnios, pior!

Gui disse...

Pois é e não fazem falta nenhuma, não é? Raios os partam! Obrigado amiga pela tua visita e desculpa a ausência e o silêncio, mas a vida não está fácil. Um beijo.