segunda-feira, 20 de outubro de 2008

10 anos

Gostava de ter 10 anos de idade.

Não para ser mais nova,
mas para poder
sentir
que quem amamos
não envelhece
e que a lei da vida
ainda não entendi.

Décimo aniversário.
Prendas, amigos
e as velas do bolo para apagar
num só sopro.

Quero ter 10 anos de idade
e cumprir o mesmo trajecto.

Sem lei da vida.

13 comentários:

Graça Pires disse...

Ter 10 anos. E chorar por não saber desenhar as bonecas com ar de riso...
Gostei do poema Paula.

wind disse...

Sonhos....
Beijos

peciscas disse...

Pois, cá por mim, não queria voltar a ter 10 anos. Pelo menos tendo que viver algumas das coisas que então vivi.
Mas admito que, para a maioria das pessoas que tiveram uma infância mais ou menos feliz, seria bom recuar...

viajantis disse...

...a lei da vida é incontornável, mas não custa nada sonhar...

Eduardo Aleixo disse...

Pois eu, que vou fazer 10 anos, dentro de pouco tempo, aplaudo o poema, e digo que tomara eu, que quando fizer 10 anos, coisa que está para breve, tivesse a sorte de ter alguém que me fizesse um poema, no dia em que vou fazer 10 anos, que não demora, estou em condições de compreender o homenageado, quem será o felizardo?, seja quem for, se eu não receber um poema deste género, no dia em que fizer 10 anos, coisa que está quase, quase a acontecer, uma coisa é certa: revejo-me perfeitamente a receber um poemazinho assim, bonito, singelo, simples, sincero, e isto, sincero, é o mais importabnte, receber uma poesia no dia dos meus dez anos de idade, idade que estou desejando ter para me escreverem um poema assim, não é preciso que tenha rima, que rime, que as letras estejam em consonância, mas que seja musical, embalador, que me faça balançar, imaginar que tenho dez anos, que sou já crescido, que já ultrapassei as maluqueiras dos oito e dos sete, pode ser um peão, um berlinde, uma mota de lata, espingarda, não, que os mais velhos não deixam, mas uma bola de trapo, de papel, de bexiga de porco, de porco, não, que agora a ASAE não deixa matar porcos, mas isto a propósito de fazer anos dentro em breve, e ter ficado com inveja do destinatário deste poema, destinatário palavra cara, não é de rappaz de nove anos, é que, bom, eu sou de QI muito elevado, frequento um estabelecimento privado, meus pais têm dinheiro, por isso sei de palavras caras, mas o que importa é a prenda, pode ser um poema, uma coisa simples, uma quadra, um beijinho, um tremoço enrolado em chocolate, para que possa dizer lá no infantário: que coisa bué bonita, é do catano, é poesia brava, mansa e meiga, sim, não esquecer que só os meninos é que sabem dar valor às prendas, daí este lengalenga, meninos é que sabem, por isso tenho quase dez anos, que vou fazer dentro em breve, e quando chegar esse dia eu direi: nove anos já ninguém mos tira, e ainda por cima me dão um poema, ka granda dia, porra...
Parabéns para o menino ou menina, não sei.
Beijinhos.
EA

Maria Clarinda disse...

E nos meus 10 anos, tive um bolo da Branca de Neve e dos sete anões...e como tu queria continuar com eles e não ter a Lai da vida!!!!
Adorei, Paula!!!!Jinhos no teu coração.

Pedro Arunca disse...

Paulinha se conseguires manda postal com morada, que tambem vou.
Bjs

Odele Souza disse...

Deve ser bom querer voltar a ter 10 anos,
pois isto significa uma infância com boas recordaçoes.

Beijos

poetaeusou . . . disse...

*
até eu, paulinha,
,
jinos
,
*

Catcatarino disse...

Olá.. Os meus dez anos ainda não passaram há muito, e no entanto, já me parecem tão longínquos...
Passa no meu novo espaço... Ainda não sei se mantenho o outro, mas este, por razões óbvias que perceberás quando lá estiveres não vai ser divulgado no diletante...
Um beijo minha amiga...

A. Jorge disse...

Adorei o poema e toda a sua mensagem!

Ainda bem que vim cá hoje!

Um beijo

Jorge

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Paula, voltar a ter dez anos !... Fui muito feliz, nesta idade ainda acreditava que os bébés vinham no bico da cegonha, acreditava que era o menino Jesus que trazia as prendas!... Mas, Amiga não queria voltar a ter dez anos, todo o meu percurso de vida, foi lindo, é assim que o sinto e hoje com os meus cinquenta e sete anos, vejo o mundo sempre com a coragem de quem tem ainda muito para viver... Continuo pela vida fora, sempre com a mesma maravilhosa vontade de viver!!!
Beijinhos de carinho,
Fernandinha

Isabel-F. disse...

não sei se queria regressar aos meus 10 anos ... a não ser que fosse para lá voltar e regressar a seguir ....

não queria passar outra vez tudo o que passei a partir dos meus 19/20 anos ....


bjs