terça-feira, 11 de setembro de 2007

Lentamente

Sem pressa
o comboio percorre
a linha que me leva
por aí,
devagar
deixo-me levar
por aqui,
enquanto estou
e sou e o sossego
me invade.

Calma no olhar,
nos gestos e no silêncio
chega a estação
que me trouxe
até ao comboio...

12 comentários:

wind disse...

Um poema com a teoria da relatividade do Einstein.lololol
beijos

Amaral disse...

Que bom saber que chegaste!
Que bom saber que de sossego e de calma encheste a tua estação.
O teu combóio brevemente poderá partir e percorrer a linha certa...

António disse...

Querida Paula!
Agora vou inventar um nome para este tipo de poesia que é uma mistura de trocadilhos e de non-sense.
Que tal "Raposeira"?
ihihihih

Beijinhos

Paula Raposo disse...

Meu querido António C.D.: eu sei que tu sabes como gosto imenso de espumante...e portanto muita certa a tua conclusão!! Nem mais.
À Wind e ao Amaral beijinhos meus por estarem sempre presentes.

Gui disse...

Lentamente! É assim que devem ser apreciadas todas as coisas boas da vida. Bonito com sempre Paulinha.

peciscas disse...

A sabedoria, está, muitas vezes, na lentidão com que usufruem os sabores.

Um Momento disse...

Calma te li
Serena te senti
Na estação contigo me vi

Beijo sorridente ... em ti
(*)

Noite serena te desejo
:))

Blueshell disse...

Infelizmente andamos todos muito cheios de pressa...para tudo!

Tive de sair de novo mas agora que voltei acho que é para ficar. Estou a visitar os amigos.

Jinho, BShell

Papoila disse...

O sossego é bom mas... por pouco tempo. O barulho dos sentidos nos mantem vivas.

Beijinhos
BF

Paulo Sempre disse...

É assim com esse sossego e calma que os comboios para na estação da Cuba - Alentejo. Em tempos houve gente que aparecia com mantas na dita estação pois...pensavam que o comboio vinha suado...
Com calma no olhar, quando não seguinho de choro, muitas vezes a estação vem até nós...ao primeiro apito do comboio. Falta, por vezes, é a coragem de partir...outras vezes não.

Paulo

In Loko disse...

Este Lentamente reflecte bem o seu interior... calmo, sereno, apreciador sem pressas!

Gostei muito Paula!

Beijinhos

J.G. disse...

...e assim, completada a viagem, há que sair do combóio e caminhar em frente pslo próprio pé.

Um abraço.