sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Daqui

Sinto esse riso
que me atropela os sentidos
em atropelos desnivelados
de prazer,
sinto as veias latejarem
de um bem que é meu
e o trémulo gotejar
dos primeiros
pingos de chuva...

Chegas como que vindo
não sei de onde,
nem como,
nem porquê,
ocupando o meu espaço
e libertando
ondas de prazer.

Daqui, levo-te
comigo em sombras
de luz
até à beira mar.


Para ti F. que o meu sonho permaneça.

11 comentários:

wind disse...

Muito bonito, parece sonho:)
beijos

Fernando disse...

Minha mão
escreve
versos d'água
que o coração vai ditando,
palavra por palavra,
gota a gota ...
Meus olhos,
poemas derramados,
que tu vens ler.
Beijos

Papoila disse...

Belíssimo!
Beijos

Nilson Barcelli disse...

Riso que atropela os sentidos... pois, acho que percebi...
Espero que não o afogues à beira-mar (ao sorriso, claro...).
O poema é excelente, não podia deixar de o ser, já que foi escrito por ti, uma das melhores poetisas da blogosfera que eu conheço.
Bfs, beijinhos.

António disse...

Querida Paula!
Prazer, ondas de luz, beira-mar...e ficou aqui um cheirinho a maresia.
Bonito!

Beijinhos

António disse...

Parece que vais fazer outra pausa.
Até breve!
Aqui!

Beijos

Gui disse...

Paula, tens certamente bons motivos para parares para reflectir. Acho que fazes bem, embora desconheça os motivos, mas não te esqueças dos amigos que aqui tens, que gostam de ti e que te admiram. Até já amiga. Deixo aqui vários beijos, um para cada dia em que vais estar ausente.

Um Momento disse...

E á beira mar te encontres
E por la te sorrias
Que teu sonho se realize
Num dia cheio de alegrias

Beijo ... em Ti

(*)

António Sabão disse...

Paula, por amor de Deus, não leias a minha poesia, que eu tenho vergonha depois de ler os teus!
Os cartoons inda vá que não vá mas são cada seca :(
Beijinho

Å®t Øf £övë disse...

Paula,
Quando alguém de quem gostamos chega de surpresa, oferece-nos um daqueles momentos de rara felicidade, em que o coração parece disparar.
Beijinhos.

Rui Caetano disse...

Muito profundo.