terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Já foi

Já foi perfume
e música partículas
sons deixados ao acaso
no baú ressequido
de memórias.

Agora já nem memórias
restam, nem perfume,
nem baú...

Vieram tornados
e tempestades
e levaram assim tudo
para o nada.

26 comentários:

rakel_leoah* disse...

bom dia... nunca nada sai assim da cabeça... mas doi saber que akilo que havia e porque se sorria fugiu por um outro nada... sorry ... e o que faz espreitar sempre o blog do sabao... dpois passo sempre por aki! cmprimentos..

wind disse...

Triste:(
Beijos

poetaeusou . . . disse...

*
paulinha
,
estás aqui,
no meu olhar,
,
conchinhas
,
*

A. João Soares disse...

Cara aula,
Esse é o grande inconveniente de se viver de memórias. É conduzir em marcha atrás. Já pensou a dificuldade de andar alguns quilómetros em marcha atrás?
É preciso viver com a máxima intensidade o AGORA, o presente. Ou somos felizes agora ou não o somos. Repare que o verbo está no presente do indicativo!
Temos que apreciar as pequenas coisas que nos possam agradar dar prazer... Um dia de sol o mar, sempre diferente, as flores, o verde das plantas, a música da chuva. Enfim, cada momento nos traz motivos para apreciar e para deles retirarmos gozo.
Beijo

No blog Do Miradouro há novos artigos
A. João Soares

Mocho-Real disse...

Em seu lugar novos perfumes e sons virão e deles se fará memória um dia.
É assim a roda do tempo.

Abraço.
Jorge G.

Isabel-F. disse...

um belo poema ...


foi sentir a tua falta ...

descansa e ...

espero que a tua pausa não seja muito longa ...

beijinhos doces

Pena disse...

Linda Amiga:
Não acredito que já não haja memórias, perfume ou o baú, na sua doçura talentosa, no seu sentir muito profundo, magnífico e belo.
Parabéns pelo encanto que manifestou com todos. Parabéns pelo que é e significa na imensa Blogosfera. Representa uma interioridade deslumbrante de ternura.
OBRIGADO pela visita e pela pureza das letras curtas lá deixadas, mas com uma significação poderosa e gigantesca. OBRIGADO.
Beijinhos amigos de muita estima

pena

António Sabão disse...

Que chatice! Por muito tempo? Esperemos que não...As tuas palavras fazem falta!

peciscas disse...

Tenho pena que interrompas a tua actividade na blogosfera.
Espero que a pausa seja breve.
Beijinhos e volta depressa!

Nilson Barcelli disse...

Mas que tempestades...
Um bom poema, como sempre escreves, mas triste e de um forte desânimo.
Lembra-te... depois da tempestade vem a bonança.

Beijinhos.

Teresa David disse...

Um poema poderoso como tu tão bem sabes fazer! Não acredito que o teu inderminado tempo seja longo, como já disse noutros comentários, acho que, sem escreveres, feneces e ainda tens muito para viver e poetisar!
Bjs
TD

Acordomar disse...

Volta a bonança, decerto.

Um grd beijinho*

poetaeusou . . . disse...

*
mensagem standard
*
neste dia, recusa
o manto da solidão,
“ cobre-te de ti “
e sairás renovada(o)
,
in-poetaeusou
,
conchinhas
,
*

Pena disse...

OBRIGADO pela linda e terna visita que me efectuou e pelas simpáticas palavras lá expressas.
OBRIGADO!
Beijinhos amigos com consideração imensa e o meu respeito total e inequívoco de sinceridade e apreço.

pena

Gui disse...

Paula, tenho andado algo afastado destas lides por falta de tempo. Hoje que vi aqui retribuir atua visita sou surpreendido com esta notícia. Vou sentir a tua falta. Até amanhã e um bejo carregadinho da amizade que tu me fizeste sentir por ti. Volta depressa.

Gui disse...

Depois do tornado vem a bonança. Um beijo

efeneto disse...

A amizade é uma ave irrequieta
que tenho na garganta
É voo de cegonhas
ou de milhafres
Asas secretas e breves umas
nítidas e sem tempo outras
Assim sobrevoo os flancos da madrugada
me dispo dentro das palavras
plano num campo de estevas
e abraço o cheiro da maresia
Como ontem
deixo que uma cascata de desejo
de um fim de semana cheio de…amizade

Ficaremos á espera...beijo de espera

Amaral disse...

Tudo passa e nunca uma tempestade ficou para sempre.
Tens a poesia no sangue e os versos encher-te-ão o peito se os não deitares cá pra fora!
O baú das memórias é apenas isso: o tal baú onde vamos guardando as nossas experiências. É lá que encontramos os padrões que servem de comparação com aquilo que queremos criar.
Nesta estrada da vida é nossa tarefa manter a "condução" o mais segura possível!...

Falando de Amor disse...

Nada como passera na web e deparar-se que coisas feitas com tamanho prazer...amei passar por aqui...bjos querida!

leonor costa disse...

Querida Paula
A vida é assim, cheia de agruras e, às vezes, depois de tanta luta, deixa-nos um vazio. Continuemos a lutar!

Um beijo e até breve!


HOJE E AMANHÃ

Rui Caetano disse...

Um bom fim de semana. Já não se pode viver sem a blogosfera. Já faz parte das vidas... de quem gosta, naturalmente.

Ana Patudos disse...

Paulinha, sei o quanto por vezes, é preciso permanecer em silêncio... também nos faz falta encontrarmo-nos a nós próprios.
Grande beijinho da amiga
Ana Paula
Fica bem

AcidoCloridrix disse...

Vá lá miuda,,, deixa-te de coisas e de pausas,,, continua, nem que moderes o ritmo,,, mas nunca pares,,,, fazes-nos falta!!! Beijoooo,,,, HCL

Å®t Øf £övë disse...

Paula,
Olha que por vezes o tudo e o nada podem ser sinónimos...
Beijinhos.

poetaeusou . . . disse...

PAULINHA
,
,
,
VOOOOOLTAAAAAAA,,,,,,
,
bjis
,
*

AcidoCloridrix disse...

Essa tua pausa tem mesmo que ser interrpompida,,, fazes-nos falta,,, e que tal participares,,, estritamente para fins científicos,,, e por curiosidade claro,,, estamos a fazer um levantamento, que se pretende rigoroso, de forma a apurar o tamanho médio do pénis,,,, agradeço a participação em: http://sexohumorprazer.blogspot.com/2008/02/questo-delicada-o-tamanho-do-pnis.html ... HCL