sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Assim é

A maré companheira
doce dos teus braços
partiu desafiando
a gravidade
perdeu-se entre as paredes
nuas do quarto

9 comentários:

Clarinda Galante disse...

"A maré companheira
doce dos teus braços
partiu desafiando
a gravidade
perdeu-se entre as paredes
nuas do quarto"...

Adorei Paula!
Jinhos mil

wind disse...

Triste, mas com belas palavras:)
Beijos

António Sabão disse...

Pois, muito bonito! lol

efeneto disse...

É bom saber
que a charrua dos versos
me lavra o sangue
donde brotam palavras
palavras de ter
e de guardar o tempo
sons de uma guitarra
que o vento traz

É bom saber
que nenhuma chuva
dissolve a secura dos dias
sede que sacio
nas fontes da sua amizade

É bom saber
que a espuma do poema
me faz vir aqui lhe desejar
um fim de semana cheio de palavras e amizade.

Pepe Luigi disse...

Espetacular é a forma que consegues dar nesta tua pequena poesia, moldando em vários sentidos a nossa imaginação.
Também quero dar-te os meus parabéns pelos teus anteriores trabalhos que continuam magníficos.

Um beijinho
do Pepe.

david santos disse...

Olá, Paula.
Tem um bom fim-de-semana

peciscas disse...

Às vezes, assim é...

Menina_marota disse...

Há marés perdidas, em outras marés que habitamos...

Gosto dos teus sentimentos transparentes...

Beijo e bom fim de semana ;)

Å®t Øf £övë disse...

Paula,
O Mar... sempre o Mar...
Beijinhos.