sábado, 6 de outubro de 2007

Sons azuis

Ao cabo de te amar
loucamente
chamo-te em sons
azuis de abraços
como se não existissem
mais nuvens no céu
agora e sempre
límpido
de saudades
cânticos alegres
de boas vindas
e a voz doce
do teu regresso
neste tão louco amor.

7 comentários:

wind disse...

Loucamente amoroso:)
beijos

MARTA disse...

Quem não ama loucamente?
Quem não gosta do azul, uma cor pura, transparente??
Lindo - obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Peter disse...

Sim e parafraseando a Marta:

"Quem não gosta do azul, uma cor pura, transparente??"

Algo te sucedeu (e ainda bem) pois os teus poemas transmitem-nos de novo "une joie de vivre".

Lumife disse...

Já não dispenso a visita diária e a leitura das palavras que gostas de partilhar connosco.

Atrevo-me a dizer que cada dia são mais belas que as anteriores...


Bom domingo


Beijos

António Sabão disse...

Tenho sido um traidor e anormal por não comentar aqui ! Desculpa ok?
bj

poetaeusou . . . disse...

*
o amor, é louco,
será ???
*
ji
*

António disse...

Paulinha!
Não duvides que quem gosta do azul tem de ser optimista...ihihihih

Beijinhos