sexta-feira, 12 de outubro de 2007

Não lembrança

Não lembro nem quero
lembrar as flores
que cresciam no espaço verde
daquele jardim,
não lembro nem quero lembrar
o mar que aos nossos pés
alimentava a nossa história
e que dela fazia um futuro
sem qualquer sentido.

Mas porque quero lembrar
um sorriso e uma carícia
voo para longe daqui
não querendo já lembrar
o que nunca soube de ti...

10 comentários:

António Sabão disse...

PAULA, estás mesmo tristinha, vê-se pelas tuas palavras! Queres que conte uma piada pra animares? Vou pôr no blog mais logo :) OK?
beijinho

Amaral disse...

A lembrança não tem necessariamente de conter tristeza!
Cada lembrança tem um momento associado. Com esses momentos, fazemos o espaço verde do nosso jardim!

wind disse...

Afinal lembras querendo esquecer e não podes lembrar o que nunca soubeste.
Bom poema:)
beijos

poetaeusou . . . disse...

*
tristezas,
levas-as o vento,
*
beijo "mural"
*

efeneto disse...

Se a bola e a arte
não me atraiçoam
prevejo para os próximos dias
mau tempo no litoral
no centro, a norte e sul de Portugal.
Instabilidade térmica
fortes ventos a soprar.
Se aqui não me encontrarem
É porque procurei refúgio
Na minha bola de cristal!

E porque as “férias” se acabaram
Resta-me lhe desejar
Bom fim-de-semana
Que eu p´ro “grito” vou esperar...

Lumife disse...

Nem sempre conseguimos esquecer o que não queremos lembrar mas sempre há algo que desejamos ter presente...

Beijos

Doce Venenosa disse...

Lembranças passadas reflectem-se em nós
Sorrisos presentes alimentam-nos o futuro
Beijo doce e um bom fim de semana
***

PoesiaMGD disse...

Também podes voar e pousar em outros lugares!
Deixo um convite: escritartes.com
Vem espiar...

Um abraço

António disse...

Querida Paula!
Afinal o poeta não é um fingidor.

Beijinhos

Fernando disse...

Recordações que perduram na memória...