quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Algures


Solitária algures
varrendo a memória
e o delírio
decompõe-se a imaginação
em partículas
abertas e esfumadas

algures
a solidão marca presença
num dado momento
não adquirido
do ainda futuro...


Foto: José Arroteia

32 comentários:

Chica disse...

Lindíssimo! beijos,tudo de bom,chica

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA PAULA, BELÍSSIMO POEMA E UMA FOTO EXTRAORDINÁRIA... BEIJINHOS DE AMIZADE,
FERNANDINHA

peciscas disse...

Quem sabe onde começa e acaba a imaginação.
Sabemos que algures,numa indefinição para a qual nem sempre temos resposta.
Mas, também não é decisivo termos essas respostas.

wind disse...

Um pouco triste.
Beijos

mundo azul disse...

___________________________________


...momentos ainda não adquiridos, são sempre uma esperança cantando dentro do coração!


Belo poema, Paula!

Beijos de luz e o meu carinho...


________________________________

Jaime A. disse...

Sempre ao nível da excelência, Paula...
Um beijo e resto de boa semana

Júlia Coutinho disse...

Paula, fiquei sem saber se o meu comentário foi ou não guardado...

Mas aqui fica um beijo meu e a saudade de te ler.

Osvaldo disse...

Paula;
Quando os momentos ainda não são adquiridos, vive-se sempre na inquietude de uma solidão não desejada.

bjs, Paula,
Osvaldo

Mona Lisa disse...

Olá Paula

Solidão e imaginação...uma constante!

Belo poema, como sempre.

Bjs.

Lisa

Eduardo Aleixo disse...

A flor e o mar,
- a flor, majestosa;
- O mar, tranquilo!
E eu, I am ( quase ) going above the air and the sea...
Até...´
EA

Sonia Schmorantz disse...

Sempre muito bom ler o que escreves.
beijos

Thiago disse...

...de algures envio-te um beijo com saudades...

Graça Pires disse...

Agarra na solidão e transforma-a em coragem e ternura...
Um beijo, Paula.

AnaMar (pseudónimo) disse...

...Ainda a tempo para que a solidão não se instale...
Bj

poetaeusou . . . disse...

*
algures existem
caminhos não andados,
,
jino,
,
*

Maria Clarinda disse...

Excelente!!!Algures...se encontra tudo!
Jinhos mil

Mar Arável disse...

Os nenúfares

não são o fim do mundo

abrem-se em flor

mesmo nas águas paradas

© Piedade Araújo Sol disse...

sempre bom...embora com uma certa nostalgia.

a foto muito bonita!

beij

© Piedade Araújo Sol disse...

sempre bom...embora com uma certa nostalgia.

a foto muito bonita!

beij

heretico disse...

... e a imaginação recompõe-se. gota a gota. cam saudades de futuro.

... assim desejo.

beijo

alice disse...

a solidão marca sempre a sua presença nos teus poemas, paula. um beijinho grande*

Ana Martins disse...

Um pensamento cheio de verdade... Parabéns!

Beijinhos,
Ana Martins

Viajantis disse...

afasta essa solidão, vai!

Kim disse...

a música de fundo dos teus versos e a solidão que não marca presença na minha vida, dão-e alento para as férias que vão começar.
Beijinho Paola

Gui disse...

Antever a solidão futura? E porque é que terá mesmo que ser assim? Não foste tu que cantaste que as plantas nascem e crescem e de contornos de esperança? Bjs.

mfc disse...

Vogar na imaginação... é um direito e um prazer!
Lindo.

Justine disse...

A solidão, nossa companheira de quase sempre, em versão bela e poética...

Å®t Øf £övë disse...

Paula,
A solidão por vezes pode ser bela, como a fotografia tão bem retrata.
Beijinhos.

Fa menor disse...

quando a solidão marca a sua presença... e se transforma em poema!

bjinhos

prafrente disse...

Nunca estamos sós no universo.A pior solidão não é quando os outros nos abandonam mas quando nos abandonamos a nós mesmos.

Beijos

pin gente disse...

a solidão aparece onde não deve!
beijos, paula.

Sofá Amarelo disse...

Porque caminham sobre as águas, os nenúfares são mágicos para mim... mesmo quando 'a solidão marca presença num dado momento...'