segunda-feira, 1 de junho de 2009

Um tudo nada


Falando de tudo ou nada
caminhamos
de um lado ao outro
deste sonho perfeito
de regressos e beijos
prometidos.

Um tudo nada de desejos,
uma volta em anseios,
um desmedido cansaço
a golpear a alma.

O coração solta
o sobressalto
e a vida revira
a sublime revelação

e é a magia reencontrada
de um tudo nada,
esmagando a saudade,
aqui.


Foto: Viajantis

30 comentários:

Mona Lisa disse...

Olá Paula

Viajei em sonhos e vivi o reencontro tão desejado!

Mais um belo e sentido poema em que me revejo!

Parabéns!

Bjs.

Maria Clarinda disse...

(...)e é a magia reencontrada
de um tudo nada,
esmagando a saudade,
aqui.


Lindo este teu poema..e, ainda bem que a magia é reencontrada...para esmagar a saudade!
Jinhos

wind disse...

Bonito!
Beijos

Viajantis disse...

...bom!
para esmagar a saudade!

Justine disse...

A nossa alegria é mesmo feita de pequenos "tudo-nadas", de fulgurações que nos dão coragem!
Abraço

Pedro Arunca disse...

Cada palavra um passo
Cada verso um destino
Cada poema uma viagem

.............
ausente mas não esquecido

Beijo
Pedro

Vanessa. disse...

Sempre fantásticas as palavras que leio neste espacinho.

Prémizinho à tua espera no meu blog!

Mariazita disse...

O “Lírios” assinala o Dia Mundial da Criança.
Queres ir conferir?
Um dia feliz.

Beijinhos
Mariazita

Nilson Barcelli disse...

E como é bom quando o coração salta...
Querida amiga, tem uma óptima semana.
Beijo.

Eduardo Aleixo disse...

Muito bonito, Paula, Bj

Laura disse...

Ah, ter o coração a saltar é um óptimo prenúncio de que o amor anda a rondar. é que o meu anda aos trambolhões e assim!... ah, nem te rias nem me gozes..beijinhos.

peciscas disse...

É sempre bom reeencontrar a magia que já nos tocou.

Kim disse...

Com tão poucas palavras se dizem tantas coisas.
Bj Paola

Fragmentos Betty Martins disse...

._________querida Paula






.são mesmo pequenos nada_______que fazem saltar o nosso coração________________...






___________///






beijO_____ternO

Ana Martins disse...

Adorei Paula... muito lindo mesmo!!!

Beijinhos,
Ana Martins

AnaMar (pseudónimo) disse...

É o amor a acontecer...
:-D
Bjs

tecas disse...

"falando de tudo ou nada", fala-se de desejos, paixões, amores e desamores...mas sobretudo de boa poesia, de bela poesia. Um bji e os meus parabéns ao " Viajante".
E até... tudo a postos. Não te tenho visto no meu blog:)

Mariazita disse...

"a magia reencontrada de um tudo nada esmagando a saudade..." - que lindo! E o resto também...mas esta frase é sublime.

Um beijinho
Mariazita

Fa menor disse...

Se é para esmagar a saudade... para a frente!

Bjinhos

© Piedade Araújo Sol disse...

pequenos nadas, que se transformam em saudade.

um bom poema como sempre.

um beij

Å®t Øf £övë disse...

Paula,
O que separa o TUDO do NADA, é um pequeno fio condutor que faz toda a diferença, e que pode significar a distância entre a vida e a morte.
Beijinhos.

Ana Patudos disse...

As palavras escritas por ti, são um mar de emoções e magia em cada palavra. Gosto muito.
beijos e fica bem
Ana Paula

Licínia Quitério disse...

Tudo-nadas que nos fazem tantas vezes sobrevivos.

Beijo, Paula.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Paulota

Olvidaste-me? Fugiste? Fiz-te algum mal? Ofendi-te? Tenho saudades de tu (ou será...) três vezes por dia - ou mais.
Vai à Travessa muitas coisas novas e cumenta, com o. É uma ordem!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Qjs (se te encontrar)

O Profeta disse...

Mil caminhos
Esta viagem sem velas nem vento
Este barco na bolina das ondas
Esta chuva miúda transborda sentimento

Amarras prendem o gesto
Arrocham um coração que bate incerto
Uma gaivota retoca as penas com espuma
Levanta voo em rumo concreto

Partilha comigo “100 Anos de Ilusão”


Mágico beijo

Jaime A. disse...

É um tudo nada que esmaga a saudade: sim, basta tão pouco para regressar e viver...
Bjs

xistosa - (josé torres) disse...

Promessas de sonhos que talvez se reencontrem na magia do tudo ou nada.

tinta permanente disse...

esmagando saudades!...
É que, desejos, são fogo que a gente traz ao nascer...


abraços!

argumentonio disse...

«um tudo nada» ou «um tudo ou nada»?

bem, a poesia, como em geral muita arte e não só, vive da ambiguidade, não apenas acidental ou resultante da livre interpretação mas também da pretendida, elaborada, esteticamente forjada, ao nível porventura da mais sublime criatividade na construção da comunicação, do enigma ou da espiral de desejo que justifica a intensidade que reconhecemos na arte, no seu valor salvífico de acesso ao transcendente, no apreço da partilha e fusão que nos leva para lá de nós mesmos, quem sabe se até ao intemporal

mas há uma diferença entre um tudo nada, que é um nadinha, um "de minimis", porém centelha, pode ser um olhar, um gesto por lembrar, o odor dos lugares da infância ou da felicidade em geral, mil e uma coisas ou nem isso, um laivo de pensamento que mal se chegou a esboçar, de um tudo ou nada que é bem outra conversa, é o partir para enfrentar na disposição de romper, sim ou não, sim ou sopas, "talvezes" não são admitidos, hesitações e adiamentos fora da conversa, nem que se saia a perder por muitos, mas sem contemplações, é o ou vai ou racha tão saborosamente popular, o antes quebrar que torcer, uma clarificação, a luta contra o papão, a denúncia de que o rei vai nu ainda que na versão ingénua dos nossos porquês de crianças, enfim, a definição dos contornos do poema e dos planetas ou de quem os habita, contempla ou reflecte

já um "falamos de tudo ou «de» nada", sublinhando o segundo «de», retoma referencialmente a primeira formulação, embora por via diversa, pois falar de tudo ou de nada já não remete apenas para o insignificante, infinitesimal, grão, poro, bago (de romã, pois então!) ou circunstância vaga, ténue, sem expressão - mas admite, em contraponto (igualmente expressivo ou mesmo poético) a alusão ao tema sério, à grande discussão, aos limites da luz, ao colocar tudo em questão, à importância das importâncias, às altas esferas das supremas maningâncias, uf... era só a reinar, he he

desculpa o arrazoado mas fez-me pensar

agora a sério: magnífico poema, hei-de voltar para ler mais, também gosto (digo, tem que se gostar) das fotos e da sua feliz conjugação com os textos

e o blog em geral é bem catita, também na valência participativa (em actividades de divulgação de poesia, edição, etc) e dos comentários de apoio e incentivo que suscita

preferido mesmo é o tema da romã, fruto, fascínio e símbolo

inté

;->>>

margusta disse...

Olá Paula!
..costumo passar e ler a sua poesia embora não comente.

Mas se volto e leio, é porque gosto do que escreve!

Gostaria de convidá-la a participar no " Recanto da poesia", no meu NING , porque para mim a ppintura e a poesia caminham de mãos dadas...

Se desejar pode inscrever-se aqui

http://casadospintores-margustagaleria.ning.com/

Um Abraço

Margusta