terça-feira, 9 de junho de 2009

Fala-me...


Fala-me de aromas
acidulados
ou de cores fortes
e de luz.

Fala-me de presente
e do não tempo
de banalidades
e fala-me de palavras
insinuantes.

Fala-me de estímulos,
de amor e de sexo,
de fantasias,
de penumbra e de luas.

Fala-me de música, poesia,
de desenho e pintura.

Fala-me de tudo
menos de hipocrisia,
cinismo, ódios ou rancores.

E nunca, mas nunca me fales
de sombras gastas.


Foto: Viajantis

28 comentários:

argumentonio disse...

falar? basta ouvir, basta ler assim!

;->>>

Mona Lisa disse...

Olá Paula

Fala-me de tudo que preciso...fala-me de ti!

Parabéns!

Bjs.

Ana Martins disse...

Gostei!
Também tenho um "Fala-me de Tudo!",publicado a 9 de Junho de 2008 que embora diferente, acaba por transmitir a mesma mensagem!

Beijinhos,
Ana Martins

Viajantis disse...

..."fala-me de vida"...porque tudo isso é VIVER!

Maria Clarinda disse...

(...)Fala-me de tudo
menos de hipocrisia,
cinismo, ódios ou rancores.


Lindo este teu poema...como sempre Paulinha!
Jinhos!

Carla disse...

Tive pena de não ter podido ir a Vermoim, mas já soube que correu tudo muito bem, fico feliz por isso
...das tuas palavras retenho o que conta, aquilo de que importa falar e que tu tão bem expressas.

para além disso venho também falar-te do lançamento do meu livro de poesia...In-finitos sentires que vão ser desenhados em papel.
Deixo-te um convite caso possas aparecer
beijo

wind disse...

Muito bonito.
Linda foto.
Beijos

tecas disse...

Olá querida poetisa, falo da beleza
deste teu poema, falo do prazer em te conhecer um pouco melhor, falo, falo,falo....
Bji amigo

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA PAULA... "FALA-ME DE TUDO"... SUBLIME POEMA... ABRAÇOS DE AMIZADE,
FERNANDINHA

AnaMar (pseudónimo) disse...

Continua a falar assim. Porque eu preciso de ouvir. Lendo.
Bjs

peciscas disse...

É bom ouvirmos as palavras que nos tocam.
E as tuas palavras tocam-nos sempre.

Justine disse...

Bastaria que todos falassem como tu escreves, e as sombras desapareceriam...

heretico disse...

... e quem fala assim, merece ser escutado.

beijo

Clotilde S. disse...

Às vezes sabe tão bem ficar a ouvir.

Bonito poema.
Beijinhos

De Amor e de Terra disse...

Gosto muito, muitíssimo deste teu poema!
E está tudo dito.
Beijos

Maria Mamede

Kim disse...

É bom que nos vás dizendo aquilo que devemos falar.
Bj

A.S. disse...

Paula...
As tuas palavras iluminadas, trespassam a hegemonia da sombra!...


Beijos...
AL

© Piedade Araújo Sol disse...

Paula

fala-me também da inspiraçao, com que fazes tão belos poemas.

a foto como sempre bem "casada" com o poema.

parabéns aos dois e um

beij

Ricardo disse...

Fala-me de melhorias financeiras! :)

Beijo

xistosa - (josé torres) disse...

Pelo que li, correu tudo como todos ansiavam.
Tive pena de não poder estar presente, mas os fins de semana, se não são baptizados ou comunhões, (tenho 26 ou 27 sobrinhos-netos, são tantos que até lhe perdi o rasto) são para dar um salto a Monção.

Pois é.
É melhor não se falar de sombras e se são o manto das saudades ... não se fala mais.

A. João Soares disse...

E assim fala quem sabe...
Falar de tudo o que faz sorrir, que dá prazer e evitar o pessimismo, as saudades, as dores. Grande virtude é ser optimista, positivo, vocacionado para a alegria. Aqui está um Hino à Alegria que aplaudo.
Beijos
João

mundo azul disse...

___________________________________

Belo poema! Gostei muito, Paula...


Beijos de luz e um final de semana feliz!!!



____________________________________

direitinho disse...

Fala-me ....
das Cores
dos aromas
do tempo......

Que lindo este pedido e que necessidade nós temos que nos falem e que nos prestem atenção.
Nenhum homem é uma ilha fechada.

Ainda que me fale de sombras gastas e das coisas sem valor aprenderei a amar as pessoas e as coisas pelo que são.

mfc disse...

É tão bom ouvirmos quem gostamos!

tinta permanente disse...

Quando as sombras se gastam, é porque a luz lhes tomou a negritude...
Belo, este poema. E muito interessante, a fotografia!

abraços!

pin gente disse...

hoje não tenho palavras, paula!
mas tenho um doce beijo para te deixar.

j. monge disse...

..."E nunca, mas nunca me fales
de sombras gastas."

Lindo!

PAS[Ç]SOS disse...

Fala-me de palavras que escrevem poesia e não daquelas que a apagam.