sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Sem som


Falamos de palavras
e escrevemos a alma
de um dia diferente

passamos pelas noites
envoltos em neblina
e negações precisas

descansamos o corpo
sobre camas desfeitas

usamos a voz
numa agressão diária

estendemo-nos ao sol
sem pensar

como seres inabitados
de luas

verbos sem som.


Foto minha.

29 comentários:

AnaMar (pseudónimo) disse...

Palavras belas que dispensavam ilustrção, tal a dança das mesmas. mas a foto da Lua (cheia?) que adoro, que me permite que me solte...(n)o lado mais lunar que é possível.
bjs

*Lisa_B* disse...

Que lindas noites com Poemas.
Logo que possa livrar-me destas contas quero comprar esse livro que deve ser fantástico.
Gosto muito da forma como escreve.
Beijinhos

Sonia Schmorantz disse...

Mais uma vez vou ser repetitiva, teu poema é sempre muito bonito, é um prazer vir aqui!
beijo

mariabesuga disse...

Hoje precisas guardar a luz na envolvência do silêncio das sílabas...

Bjbj

Mona Lisa disse...

Olá Paula

Hoje precisas de saborear as palavras de um único e diferente dia.

Um belo e sentido poema.

Parabéns.

Bjs.

Lisa

Maria Clarinda disse...

Já o tinha lido e achei-o lindo, agora relendo-o ainda gosto mais e mais.
Bonito o conjunto com a foto.
Jinhos

wind disse...

Gostei só que senti um pouco agreste:)
Beijos

Isa disse...

A foto está linda!!
E o teu Poema? Gostei como sempre.
Beijo.
isa.

mfc disse...

Enfim... vivemos!

PS - Parabéns pela noite do dia 15... um xi apertado.

joaninha disse...

Luar! a foto é linda!
O teu poema é um tufo de ternura e entre camas desfeitas e sonhos sem dormir, é uma delícia. Adorei.
Parabens pelo teu livro. Tenho de adquirir um, depois falamos, para saber onde já está à venda.
Mil beijinhos ternurentos para ti da isabel

▒▓█► JOTA ENE disse...

ººº
É mesmo... a foto é muito bem escolhida... as palavras sempre à Paula Raposo.

Bjossss e ...

Bom f-d-s

Je Vois la Vie en Vert disse...

Os verbos que ouvi ontém na apresentação do teu novo livro não me pareceram sem som pelo contrário. Foi bom ouvir mais poemas teus e saber um pouco mais sobre ti.

Beijinhos amigos

Verdinha

Kim disse...

Aqui fico extasiado a ouvir-te ou ... a ler-te!
Bj

Eduardo Aleixo disse...

Tu sabes que gosto da tua poesia. Não quer dizer que compreenda todos os teus poemas!
O importante, contudo, para mim, é que sei que tudo correu bem com o te livro bonito, que já li.
Bom fim de semana.
E um beijo.

mundo azul disse...

_______________________________


...bonito!!! Você tem um jeito muito próprio de fazer poesia que eu gosto muito!


Beijos de luz e o meu carinho...


__________________________________

Clotilde S. disse...

E assim são os silêncios.Belo poema!

Beijo e bom fim de semana.

Osvaldo disse...

Paula;

Não é segredo que sempre apreciei o teu modo de escrever em que consegues poetisar palavras que por vezes não têm lugar na poesia, e isso é uma das tuas vantagens.
Este sem som é uma verdadeira sinfonia frases que soam como das mais doces melodias.

Espero que a paresentação do livro tenha tido o sucesso que tu bem mereces.

bjs, Paula,
Osvaldo

Graça Pires disse...

Sem som, mas conseguimos ouvir as palavras que falas escrevendo a alma.
Um beijo.

Manuela Freitas disse...

Gosto do seu blog, tem muita e boa poesia. Parabéns.
Vou passando por aqui.
Saudações

Patudos disse...

Paulinha
Desejo-te toda a felicidade para ti e os teus poemas.
Sei que foi tudo um sucesso. Parabéns.
Fica bem
Ana Paula

oslivrosqueninguemquisdaraler disse...

Tão lindo!... beijinhos grandes

Ana Martins disse...

Tão profundo Paula!

Beijinhos,
Ana Martins

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Palota

Me da una rabia no poder haber estdo contigo en uno momento más de felicidad. Pero, ya lo sabes, estaba en Badajoz para arreglar asuntos de la Universidad de Extremadura.

Bom, querida Paula, já li o livrinho e continuas a ser uma Poetisa com caixa alta. E a apresentação gráfica é simples, mas exemplar. Muitos e muitos parabéns!!!!!!
*********
Agora,

Para tu e para mais malta

Acabei de postar um textículo meu na Minha Travessa, intitulado "O mal e a caramunha". Adivinha(em) sobre quem é... Sobre a «senhora» M. Proença... E tem uma foto dela muito sugestiva...Se quiseres(em) ter a bondade de lá ir e cumentar (com o) fico à vossa espera. Obrigado.

Qjs & abraços

laura disse...

Os teus verbos sem som, deram mais som do que pensas...
Beijinhos e parabens pelo novo livro, que seja sempre em frente, sempre na crista da onda...
Beijinhos da laura

Vieira Calado disse...

Parabéns, Paula!

Já sei que a apresentação

foi de alto nível.

Beijinho

Justine disse...

E no entanto falamos incessantemente...sem nada dizer, quase sempre. Tu dizes o que é preciso e de um modo muito belo!

heretico disse...

as palavras sem som são cinzentas. e frias...

... mas o poema é muito expressivo.

beijos

Mena G disse...

Parabéns! Parece que correu lindamente!

Å®t Øf £övë disse...

Paula,
Agimos sem pensar, e acabamos por nos tornar em verdadeiros automatos.
Beijinhos.