terça-feira, 26 de maio de 2009

Podemos


Podemos falar do canto magoado
ou solitário
e contar-nos tantas histórias
de flores e pássaros
do mar e do céu.

Podemos silenciar todas as palavras
porque no nosso peito
elas estão vivas
e nós podemos amá-las
e querê-las
e não as perder pelo caminho.


Foto: Viajantis

38 comentários:

Ana Martins disse...

Muito muito lindo... Parabéns!

Beijinhos,
Ana Martins

Mona Lisa disse...

Olá Paula

Bom ver que não nos deixaste.

Gostava que levasses o "selinho" que está no meu blog.

Mais um belo e "sofrido" poema.

Parabéns.

Bjs.

José Carlos Brandão disse...

Romãs são diamantes,
talvez estrelas caídas
ou lágrimas de Deus.

Beijos.

Maria Clarinda disse...

Como sempre belíssimo, Paula!Por vezes é bem necessário silenciar as palavras!
Jinhos

wind disse...

Porque não ao contrário?:)
Gostei do poema:)
Beijos

Mariazita disse...

"Não há machado que corte a raiz ao pensamento" - do mesmo modo as palavras podem ser silenciadas, mas a poesia continuará viva no coração do poeta.
Muito lindo, este poema.

Um beijo
Mariazita
LÍRIOS DO MACUÁPS - NÃO QUERES FAZER UMA VISITINHA AO LÍRIOS? POSTEI HOJE UM NOVO POEMA...

Justine disse...

Gosto da ideia de guardar as palavras que amamos, e não as mal-baratar...
Mas gosto também que vás partilhando as tuas:))

Isa disse...

...Guardá-las,tantas vezes,para nós.
No nosso sentir,na nossa Memória.
E sabe tão bem!
Lindo o teu poema.
Beijo.
isa.

Branca disse...

Silenciar só as palavras tristes, as alegres têm de ser partilhadas...


Boa semana pra ti...bjo!

Kim disse...

E ... o silêncio é de oiro!
Beijinhos Paola

lena disse...

entrei para te dar os parabéns pela continuação

o poema tem um sentir e está vivo no teu coração.

não resisti e comento com algo meu:


Sim, podemos percorrer caminhos
Segurar firmemente o abraço da fraternidade
Ouvir todos os pássaros alegres a cantar
Amar uma parte de nós em que sentimos
A tarefa mais difícil d0 começo até ao fim

Deixar o silêncio seguir o destino
Murmurar com os lábios quentes
Palavras loucas
na viva felicidade
de uma entrega a alguém

h.m.

beijos para ti doce Paula e o meu abraço onde existem os afectos que tenho por ti

continua sempre, porque me aqueces a alma

uma @------>--- deixo, é tua

lena

Sara L.Miranda disse...

Paula:

O seu blogue é um mimo.
Adorei esta mensagem.
Um beijinho

Fa menor disse...

E é bom mesmo que não se percam!
As palavras são-nos alimento!

Bjinhos

De Amor e de Terra disse...

É Amiga, podemos falar...
mas há tanta coisa, cá dentro, a embargar a garganta!...


Beijos


Maria Mamede

vida de vidro disse...

Ésse teu poema, hoje, fez todo o sentido para mim. Tão simples e tão belo! **

▒▓█► JOTA ENE ® disse...

Bela poesia, como costume.

Je Vois la Vie en Vert disse...

Podemos e às vezes devemos silenciar as palavras.

Belo, amiga Paula !

Beijinhos

Verdinha

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA PAULA, QUANTAS PALAVRAS FICAM POR DIZER... GOSTEI!!!
ABRAÇOS DE CARINHO E TERNURA,
FERNANDINHA

peciscas disse...

Muitas vezes, as palavras não são necessárias, quando os sentimentos estão vivos e não precisam de se explicar.

Eduardo Aleixo disse...

Não só é bonito,o poema,dos mais bonitos que escreveste,como espelha uma evolução do teu ser. As estrelas riem. E os anjos cantam. Beijinhos.

Valdemir Reis disse...

Olá Paula é sempre com grande alegria que visito este importante espaço. Honrado e feliz. Quero agradecer sua amizade. Muito obrigado! Certo estou quando um amigo nos acompanha nenhum caminho é longo demais e vamos além, também que a amizade é como as estrelas, embora não vendo toda hora sabemos que existem. Parabenizo você pela harmonia e qualidade deste trabalho. Grande tema, ótima escolha, excelente poema, belissimo, lindo visual, uma preciosidade, gostei. Valeu ter passado aqui. “Muitas vezes basta ser: colo que acolhe, braço que envolve, palavra que conforta, silêncio que respeita, alegria que contagia, lágrima que corre, olhar que acaricia, desejo que sacia, amor que promove. E isso não é coisa de outro mundo, é o que dá sentido à vida. É o que faz com que ela não seja nem curta, nem longa demais, mas que seja intensa, verdadeira, pura enquanto durar. Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.” Cora Coralina. Encontrar-nos-emos sempre por aqui. Aguardo sua visita, passa lá! E volte sempre! Tenha uma agradável e feliz semana de grandes realizações. Muita paz, brilho, proteção e sucesso. Tudo de bom, muita prosperidade... Fique com Deus. Forte e caloroso abraço.
Valdemir Reis

Vieira Calado disse...

Olá, Paula!

Vim retribuir a sua visita, ler o seu esbelto poema que aqui nos traz

e deixar

um beijinho.

j. monge disse...

Voltaste!
Obrigado!

PreDatado disse...

Sim, podemos. As nossas palavras são nossas mesmo que às vezes as partilhemos.

alice disse...

:) gostei muito, paula. também tenho escrever um poema que silencie as palavras :) beijinhos.

Viajantis disse...

..o que amamos não deixamos cair...nem perdemos.
Mesmo que no silêncio...

Mariz disse...

Salvé PAula

Sim, estou contigo o que dizes. O melhor silêncio é quando ouvirmos as palavras do nosso som...e essas só cantadas pela mesma voz...cá dentro.

Grata pelo teu comentário e perdão pela demora, mas outros valores mais altos se levantam nesta fase...meu cão doente e uma ninhada de 22 dias a necessitar de cuidados. ..entre outros - Resta pouco tempo para a net...

Espero que a frase "podemos"...não tenha nada a ver com outro...
É que agora, até a coca cola!! Achas que isto virou praga?!

Abraço meu
MAriz

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

A glória da amizade não é a mão estendida,
nem o sorriso carinhoso,
nem mesmo a delícia da companhia.
É a inspiração espiritual que vem quando você
descobre que alguém acredita e confia em você.

(Ralph Waldo Emerson)

Visite meu novo blogger
UMA ILHA PARA AMAR
http://eduardopoisl.blogspot.com/

Um grante abraço do amigo Eduardo Poisl

Carla disse...

nem imaginas como fiquei feliz com o teu regresso. As tuas palavras são de vida e na verdade todos "podemos", basta querermos
deixo-te um beijo amigo

vício disse...

e eu que pensava que as palavras nasciam nas cordas vocais...

mundo azul disse...

_________________________________


Podemos calar os sussurros das palavras, mas, nunca os gritos do coração...


Belo poema, Paula!

Beijos de luz...

_________________________________

heretico disse...

palavas (inter)ditas. talvez tão só advinhadas.

... sempre belas.

beijo

Laura disse...

Esse viajantis, tira cá umas fotos de se lhe tirar o chapéu!...
E a Poetisa a escrever, redobra o sabor da imagem e da leitura...

Acabei de escrever um poema que fala das palavras de anor, escritas. Acredito que nunca as vou perder pelo cmainho, porque sairam de mim..assim como as tuas..Lindo..Beijinhos meus..laura.

Menina_marota disse...

Há mais marés que marinheiros... e, o mar, está lá sempre para nos ouvir e "cantar" as palavras que lhe oferecemos.

Nunca silencies as tuas palavras. Nunca!

Beijinho

jawaa disse...

Podemos, sim, podemos.
Palavras sempre bonitas.
Beijo

© Piedade Araújo Sol disse...

podemos sempre.

a poesia mora em ti, acho eu.

beij

BlueShell disse...

Sim, podemos...porque são assim...as palavras....

BShell

pin gente disse...

caminho
caminho num vai e vem eterno
num passear sobre as memórias que me restam
os meus olhos continuam a voar sobre um futuro feito a dois
a par
e, quando de ti me perco,
o futuro quer esconder-se no passado
e as minhas asas debatem-se
na turbulência do presente
fecho-as
esqueço a altura
sem o teu futuro, o meu corpo transforma-se

dexei de ser uma ave com capacidade de alcançar o céu


um beijo, paula