terça-feira, 5 de maio de 2009

Os teus braços


Dos teus braços soltam-se
ventos bons e frescos
que dançam nas mãos
alegres silêncios
e me enlaçam
e animam
me devolvem puros
cantos da manhã,
dos teus braços
traçamos perfumes
de sempre
de memórias e saudade.


Foto: Clarinda

37 comentários:

Pedro Arunca disse...

Dos teus dedos escorrem versos que acariciam a alma de quem os lê.

Beijos
Pedro

Maria Clarinda disse...

(...)que dançam nas mãos
alegres silêncios
e me enlaçam
e animam
me devolvem puros
cantos da manhã,
dos teus braços...


Belo como não podia deixar de ser...com um tema de alegres silêncios....
Jinhos mil

Mona Lisa disse...

Olá Paula

Soberbo!

Tocou-me particularmente!

Bjs.

Lisa

Visite www.arteautismo.com disse...

Paula , minha linda
Saudades de ti querida......
Até a música que tem aqui é gostosa e doce para ler suas poesias.
Linda , linda a de hoje.
Como sempre Paula , arrebentas!!!!
A Foto também é muito linda.
Beijos com carinho pra ti.
Ray

peciscas disse...

Lembrou-me um fragmento de um fado que a Kátia Guerreiro canta:

Só quem ama tem razão
P´ra entender a emoção
que me dás no teu abraço.

Kim disse...

Dos meus braços também se soltam ventos frescos do Norte que enlaçam silêncios e gritos de liberdade.
Com se encaixam em mim as tuas palavras Paola!
Beijinhos

Angela Guedes disse...

Oi Paula!!!
Fiquei fascinada com este poema e alegre e tão sensual...
Beijos, amiga.
Angela

Ana Martins disse...

Olá Paula,
"...dos teus braços
traçamos perfumes
de sempre
de memórias e saudade."

Aromas genuinos e memórias felizes... Adorei!

Beijinhos,
Ana Martins

Ana Oliveira disse...

Paula

Obrigada pelos ventos, os silencios, os abraços e os perfumes, que me fizeram sorrir, sem saudades.

Um beijo

Ana

OrCa disse...

Eu creio - do alto incomensurável da minha abissal ignorância - que há uma escalada nos teus poemas... Assim como que o amadurecimento lento mas seguro de uma romã a quem um frio outonal de súbito rasga uma fresta no couro da pele, para deixar explodir o vermelho aveludado do seu interior.

E nem te passa pela cabeça o quanto eu me pelo por uma romã! ;-»

Eduardo Aleixo disse...

A foto é linda.
O poema é resinoso.
Gosto da resina.
EA

*Lisa_B* disse...

Olá Paula
adorei este poema...lindo que traduz muito sentimento.
Beijinhos meus

j. monge disse...

Após uns dias longe da net regressado, gostei do que me esperava. Nomeadamente, aqui...

Beijo!

Isa disse...

Boa tarde com muita luz,Paula.
Engraçado pq.o Sebastião quando sai
de casa da Avó diz:"olha,posso levar uma comidinha tua?"
Ñ tem,graças a Deus,falta.É só o q.
a Avó fez especialmente para ele...
Tb.te deixo carinho para ti:
o meu
Beijo.
isa.


Sou muito de mimo...

Gleidston disse...

Excelente foto, maravilhoso poema Paula, como todos que voce escreve.

otimo dia pra voce.

bjss

wind disse...

Bonito.
Beijos

Laura disse...

Ia começar um poema, mas, desisti...

É que eles dão-nos abraços... trocam-nos os passos e fogem dos nosso braços!... enfim..menina Paula, não há bela sem senão! (cá para mim, ehhhh) Beijinhos. Vamos lá começar a idealizar um lugar no Cais do oriente, para o encontro... cada um leva a sua sandocas, o sumo, o que for, mas primeiro avenham-se lá com o senhor sol, ou a senhora chuva, que não gosto de calor a derreter as banhas, fico numa lástima...
jinhos.

© Piedade Araújo Sol disse...

o poema é lindo, com uma foto belissima a acompanhar.

parabéns às meninas.

beij

Viajantis disse...

e que abraço delicioso!!

alice disse...

e dos teus braços, querida paula, das tuas mãos, saem sempre palavras muito bonitas. um beijo.

(peço desculpa por não passar nas romãs tanto como gostaria mas tenho estado ausente da net por motivos de trabalho. até breve).

Maria Emília disse...

Paula,
A magnificência da vida retrada na fantástica fotografia que as palavras descrevem.
Um beijinho,
Maria Emília

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Olha,
a palavra parada;
Luta,
por letras ocultas;
Ouça,
os versos internos
Solta,
a nudez poética;
Escreva-se,
poesia
ao menos um dia,
Seja.

(Maísa)

Desejo uma linda semana com muito amor, esperança e carinho.
Abraços.
Eduardo Poisl

vício disse...

ventos são deslocações de ar... e eu já ouvi falar em deslocações de ar de outras partes do corpo mas dos braços é a primeira vez...

Isa disse...

Que giro...(desculpa a gíria...)
nós as Mulheres preferimos a labareda,ao fumo...
Isto a propósito de um comentário teu na bonita tela de um amigo.
Beijo.
isa

heretico disse...

um privilégio descobrir a tua poesia. genuína. e musical.

grato por (me) teres revelado. e pela partilha...

ficas nos links favoritos. permites?

beijo para ti

vida de vidro disse...

Uma linda brisa de palavras. É sempre um prazer vir aqui, Paula. Tenho mesmo que arranjar mais tempo. **

Mariazita disse...

Por entre estas árvores sente-se a brisa suave dos teus lindos versos.

Feliz dia.

Beijinhos
Mariazita

notyet disse...

Que bom quando as memórias implicitam saudade !
Um beijo

mfc disse...

Dos braços do outro esperamos sempre tudo!

tinta permanente disse...

A frescura é da Primavera ou das palavras que escorrem aqui?...

abraços!

A.S. disse...

Paula,

Nos teus braços trazes a renda das palavras com que fazes o poema!


Um beijo...
AL

as velas ardem ate ao fim disse...

memórias e saudade.exatamente o que sinto.

um bjo

Å®t Øf £övë disse...

Paula,
É tão bom quando encontramos braços que funcionam como o nosso porto de abrigo, e como um local de refúgio.
Beijinhos.

jawaa disse...

Os versos passam, esguios e belos por entre as árvores...
Um abraço

Branca disse...

Braços que aconchegam, muito gostosa essa sensação.

Bom fds...bjo!

pin gente disse...

entrega-me um abraço
que não seja dado como perdido
entrega-mo no peito
devolvendo-me o sentido
de nos termos tão a jeito
estende-me os teus braços
para que eles matem as saudades
que resistem no meu olhar sofrido
encontra-te comigo
tanto queria ser o teu abrigo



um beijo, paula

(fui ficando... a ler, a ouvir...)

Odele Souza disse...

Gosto muito das fotos de Clarinda assim como gosto de teus poemas escritos com muita sensibilidade.

Beijos.