segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Sem ti

Passo a mão pelos teus cabelos
e acaricio-te o rosto
adormecendo no teu peito
as mágoas que já senti
sem ti
sei que amar é um destino
e que os minutos passam
desenfreados
por dentro de mim

sem ti...

7 comentários:

wind disse...

Oh l'amour, l'amour.lololol
Beijos

Eduardo Aleixo disse...

Lindo.
Beijo.
EA

Isabel-F. disse...

belissimo.


beijinhos e boa semana

A. João Soares disse...

Uma alma carente de carinho espera que «ele» venha numa manhã de nevoeiro, qual D. Sebastião, ou numa manhã de sol ofuscante como um cavaleiro à procura de sua dama!
Beijos
João

peciscas disse...

Ora aí está: amar é um destino.
Mas, na vida, nem sempre encontramos o nosso destino...

viajantis disse...

o problema é que os minutos passam sempre desenfreados...como cavalos que tomaram o freio nos dentes

xistosa - (josé torres) disse...

Isso é amar ao ritmo dos tempos modernos.
Também seduz.
Mas um amor dolente e "caídinho" como o destino, faz-nos parar o tempo, apesar de o relógio avançar vertiginosamente.
Mas como tudo é subjectivo, amemos sem tempo ...

Mesmo que tudo não passe duma ilusão!