segunda-feira, 10 de março de 2008

Esta é a minha voz

Cessou a tempestade
sem que desse conta
do naufrágio em que submergia
a minha vida ao longe
em que afundava os sonhos
alimentados de cores
e de repente divididos
e vazios enfiados
na tempestade a que o mar
me sucumbia.
Um final feliz neste sarcasmo
ainda não inútil.

6 comentários:

wind disse...

Um poema com ritmo e forte.
Beijos

Isabel-F. disse...

é sempe bom quando uma tempestade chega ao fim ...
é um alívio ...


gostei do poema


beijinhos e boa semana

peciscas disse...

Ainda bem que a tempestade teve um final feliz.
E é sempre bom iuvir a tua voz.

poetaeusou . . . disse...

*
que a bonança,
seja um facto, paulinha
,
xi
,
*

Graça Pires disse...

A voz a naufragar no poema...
Um beijo

Å®t Øf £övë disse...

Paula,
Depois da tempestade, e se conseguirmos resistir ao naufrágio, vamos sempre viver o renascer da esperança.
Beijinhos.