segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Não sei

A minha voz
já entoou todas
as canções.
O meu olhar
já leu todos
os recantos.
As minhas mãos
já tocaram todas
as vidas.
Um dia,
não sei quem sou.

8 comentários:

Mona Lisa disse...

Olá Paula

Fabuloso!

Serás sempre tu envolta em recordações...

Bjs.

wind disse...

És o somatório de tudo:)
Beijos

Andradarte disse...

...até esse dia chegar...muito poema
estará para vir...
Beijo

Mauro Lúcio de Paula disse...

Somos muito mais aquilo que vimos e ouvimos do que as nossas próprias sensações presentes ou memoriais. Parabéns pelo poema.

Mar Arável disse...

Terão experimentado

todos os bagos

de uma romã?

Bj

© Piedade Araújo Sol disse...

P.

há sempre algo a re-descobrir.

um imenso beij

Nilson Barcelli disse...

Nunca nos chegamos a conhecer completamente.
Querida amiga Paula, boa semana.
Um beijo.

Graça Pires disse...

Saberás sempre quem és porque vestes os desejos na dimensão lúcida da lembrança...
Gostei muito do poema.
Um beijo, Paula.