terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Amor que faço

Quero que escrevas
no meu corpo
a mais bela
canção de amor;
que me dedilhes
incessante
todos os poros
que se abrem às tuas mãos.

Quero que escrevas
na minha boca
o mais belo
poema de amor;
que me pintes
colorindo
a boca
que se abre aos teus dedos.


Também pode ser lido no http://blog.afundasao.com

11 comentários:

wind disse...

Bonito e sensual:)
Beijos

Andradarte disse...

Virtualmente...pois escreverei..
Alguma sensualidade
Beijo

Mona Lisa disse...

Fantástico!

Um poema pleno de amor e desejo...sensual!

Parabéns!

Bjs.

Jorge disse...

Belo! Poema sem rimas mas versos que cantam!

Mar Arável disse...

Belos desejos

José Carlos Brandão disse...

Um poema vivo
porque escrito
no corpo
(e na alma).
Beijos.

Vieira Calado disse...

Olá, boa tarde!

O poema é esbelto,

simples,

bem escrito.

Gostei.

Beijinhosss

Carmo disse...

Olá Paula, quanta sensualidade!!!

Muito bom!!

Um beijo

Boa semana

Valquíria Oliveira Calado disse...

ƸӁƷO Equilíbrio Humano

ƸӁƷ As nossas opiniões são apenas suplementos da nossa existência e na maneira de pensar de uma pessoa pode ver-se o que lhe falta.
...ƸӁƷ Deste modo tudo se equilibra: cada um de nós quer ser completo ou, pelo menos, quer ver-se como tal.
ƸӁƷ Johann Wolfgang von Goethe

ƸӁƷ Deixo um abraço de alegria pra seu fim de semana.ƸӁƷ

ƸӁƷ ƸӁƷ
ƸӁƷ ƸӁƷ ƸӁƷ


ƸӁƷ ƸӁƷ

Eduardo Aleixo disse...

Magnífico, Paula.

disse...

Encantadora sensualidade.

Realmente é uma belíssima poesia a tua.

Muitos parabéns.