quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Ao princípio


Ainda não se tinha instalado
o silêncio,
quando ela regressou:
estava calor.
Deambulou - sem saber que fazer -
na casa quente do sol;
pensava em voar
(naquela tarde);
libertar-se de antigos laços
e voltar ao princípio:

-Os princípios são dolorosos.


Foto minha.

32 comentários:

Jaime A. disse...

E voou, num restolhar de asas em jeito de amanhacer, em dor de início...

Osvaldo disse...

Paula;

Possivelmente os principios são dolorosos, mas por vezes libertam.
E como o ser humano nasceu para ser livre e a liberdade sempre a conquistou com dor, então viva a doce dor da liberdade...

Obrigado por sempre nos ofereceres belos poemas de reflexão.

bjs,
da Ana e Osvaldo

São Rosas disse...

... como os meios... e os fins...
(bela fotografia, cachopa... que inveja do teu mar)

wind disse...

Acho que é mais doloroso o fim, mas gostei da forma do poema e da foto:)
Beijos

Angela Guedes disse...

Oi Paula!!!
Como sempre as fotos ficaram lindas demais...
Beijinhos
Ângela

entremares disse...

Não sei se todos os princípios são dolorosos. Acredito mais que seja o percurso que os deforma, que os corrói e azeda. O princípio é a ignorância e a felicidade baseada na ignorância é efémera.

Apesar de sedutora...

Beijos.
Rolando

Victor Gil disse...

Amiga Paula.
Voar às vezes faz falta. Pode se nas asas das gaivotas, nos pensamentos, quiçá de avião. Ou voar nas palavras como tu sabes fazer tão bem.
Beijos
Victor Gil

Mona Lisa disse...

Olá Paula

Belo poema

Acho que o princípio raramente é doloroso...o fim quase sempre, ou pelo menos um alívio!

Bjs.

Lisa

Sandra disse...

Com certeza, amiga, Os principios são dolorosos.
Belo, lindo.

Fico muito feliz com a sua companhia.
E por isso lhe dou um lindo selinho.
Curiosa fica feliz com a sua presença.
Deixei um carinho para vc.
Passe lá e confira.
Sandra

joaninha disse...

GOSTEI DO TEU POEMA.
DEIXA QUE TE DIGA QUE O PRINCIPIO DÁ A ILUSÃO E A ILUSÃO NÃO É DIFÍCIL... DIFICIL É O FIM QUE DEIXA O DESENGANO E A SAUDADE DO QUE JULGARAMOS SER BOM...
MIL BEIJOS DE CARINHO AMIGA PAULA

Chris disse...

No inicio de todos os silêncios, como as palavras...
Um abraço
Chris

Ana Martins disse...

A libertação também nem sempre é fácil, mas vale sempre a pena!

Lindo e reflexivo!

Beijinhos,
Ana Martins

tulipa disse...

OLÁ AMIGA

Acabei de me encontrar contigo num outro blog...
vim logo ter contigo e dizer-te que neste momento está patente ao público uma exposição minha, foi inaugurada ontem, na Biblioteca da Moita. Foi um sucesso.
Se quiseres ver algumas imagens podes ir a este blog:
http://omeusofaamarelo.blogspot.com/

É um Amigo dos blogues que foi lá fotografar...Gostaria que pudesses ver, acho que ias gostar.

A exposição estará aberta ao público de 3ª feira a sábado; fecha aos domingos e segunda-feira.
Encerrará no sábado - dia 30 de Janeiro pelas 18h 30m.
Já me comprometi com algumas pessoas amigas para lá estar este sábado - dia 23, das 15h em diante, para fazer uma visita guiada aos amigos que decidirem ocupar o sábado de tarde de forma a "espreitar" os hábitos e costumes da Índia.

À 4ª feira a Biblioteca fecha pelas 20h, nos outros dias às 18h 30m, eu trabalho em Lisboa e só chego à Moita pelas 19h 15m, daí que poderei lá ir na outra 4ª feira e esperar pelos Amigos.

Se quiseres cá vir ficarei muito feliz e grata.
Peço-te que deixes o teu parecer num "Livro de visitas" que lá está em cima de uma mesa.

Beijos meus.

NOTA:
MUITO OBRIGADO POR DIVULGARES A MINHA EXPOSIÇÃO.

gaivota disse...

que lindo voo sobre essas ondassssssss
beijinhos

Maria Emília disse...

Os princípios são dolorosos, mas geral fins plenos de satisfação.
Maria Emília

Manu disse...

Olá Paula! Obrigado pela divulgação do AMADOR DO VERSO. Beijo.

Vieira Calado disse...

Bem... Paula...

há casos em que ter asas não chega!

Beijinho

Carmo disse...

Paula por vezes o que custa mais é levantar voo, desatar as amarras. Gostei muito do poema

Beijinhos e bom fim de semana

Carmo

Sandra disse...

Ola Amiga!
Venho lhe oferecer um lindo selinho da Mulher para vc. Pois desmpenhamos vários papéis nesta sociedade.
somos Lutadoras e guerreiras.
Venha eu te espero, na curiosa..
Com muito carinho.
Sandra

Mena G disse...

Um principio pressupõe sempre um fim, doloroso por ser "fim".
E daí, um recomeço. É assim que entendo o teu lindo poema.
Bjs

Justine disse...

Poema esplênddo, Paula. Poema cheínho de asas, como as aves da tua foto.

António Sabão disse...

Belo poema, bela foto!

Beijinhos

Sofá Amarelo disse...

Os princípios são dolorosos porque nunca se sabe o que está para vir... o tempo instala-se mesmo em silêncio...

Júlia Coutinho disse...

Paula,
para além de tudo, estás a tornar-te uma excelente fotógrafa!
fotos tão belas como os poemas!
beijinhos

© Piedade Araújo Sol disse...

Poesia escorreita…sempre a inspiração em alta.

Bonito poema como sempre.

Um bom fim de semana e um

beijo

Manuela Freitas disse...

Olá Paula,
Excelente fotografia!...
Não sei se os príncipios são dolorosos, podem ser talvez enganosos, mas isso só vem depois...
Depois é que talvez voltar aos princípios seja doloroso...
Beijinhos e um bom-fim-de-semana para ti,
Manuela

Ana Oliveira disse...

Quantas vezes desejariamos esquecer os percursos e regressar ao inicio...

Um beijo Paula

EDUARDO POISL disse...

Que a minha solidão me sirva de companhia,
que eu tenha coragem de me enfrentar,
que eu saiba ficar com o nada
e mesmo assim me sentir, como se
estivesse plena de tudo".

Clarice Lispector


Desejo um lindo domingo para você.
Abraços com todo meu carinho

Maria disse...

Paulinha
Viver é díficil. Começar, acabar, recomeçar... Tudo custa. Mas sem dificuldades, não é viver.
Beijinho
Maria

Mariazita disse...

Lindíssima foto que serve, digamos, de pano de fundo, a um belo poema.
Os princípios são dolorosos?
Não serão antes os recomeços? Digo eu...

Beijinhos
Mariazita

Vicktor disse...

Querida Paula

Bonito poema....

Voltar ao pricípio, recomeçar, faz parte do ciclo da vida...

Na primavera de todos nós, a esperança.

Beijinhos.

Å®t Øf £övë disse...

Paula,
Prefiro claramente os princípios aos fins, porque estes são claramente mais dolorosos.
Beijinhos.