quinta-feira, 3 de março de 2011

Fala-me de amor

Fala-me de amor ao som deste mar calmo, na música não apercebida, na carícia que desejamos.
Fala-me de amor mesmo que não façam sentido as palavras levadas pela maré, elas entranham-se mesmo assim, no tacto que os dedos libertam.
Fala-me de amor como se nada fosse, sem importância - que interessa isso - se o sol diz bom dia.
Fala-me de amor a qualquer hora.

12 comentários:

Mar Arável disse...

Um belo desejo

Cumpra-se

BJ

Isa disse...

Saudade dolorosa de "falar de Amor".
Que belo poema!
Beijo.
isa.

Mona Lisa disse...

Olá Paula

Fala-me de amor em silêncio, simplesmente, olhando-me...

Belo poema...uma súplica de amor...

Bjs.

Andradarte disse...

Isso é viver...
Beijo

mfc disse...

Vamos cumprir esse desejo lindo!

wind disse...

Lindíssimo!:)
Beijos

José Carlos Moutinho disse...

Gosto....muito sensível.

heretico disse...

poema delicado. como a brisa marítima em fim de tarde...

que o poema se cumpra.

beijo

José Carlos Moutinho disse...

O amor tem de ser falado agora e sempre.....
Belo poema.

Paulo Silva disse...

Sempre com amor as tuas belas palavras. Um beijo

© Piedade Araújo Sol disse...

um poema em forma de prece.

cumpra-se!

beij

Eduardo Aleixo disse...

É um poema muito terno, banhado pelas ondas do mar. Calmo.
Gosto de te ler.
Sempre.