domingo, 12 de dezembro de 2010

Boca

Os teus braços estão aqui.
Abraçam-me e estreitam nos meus
os caminhos que nos faltam,
as veredas que passaremos:
todos os fortuitos momentos
que irão ser só nossos.

Quando a boca tiver a doçura
e da minha e da tua
ser a nossa.

13 comentários:

wind disse...

Lindíssimo!
Beijos

Sonhadora disse...

Minha querida

Lindo poema.


Quando a boca tiver a doçura
e da minha e da tua
ser a nossa.

Aí são duas almas numa só...adorei.

Beijinhos com carinho
Sonhadora

Mona Lisa disse...

Olá Paula

A ternura, o amor feitos um só.

Adorei. Senti-o meu.

Bjs.

© Piedade Araújo Sol disse...

tão belo!

beij

Mar Arável disse...

O desejo das gavinhas

das bocas enclavinhadas

Belo

poetaeusou . . . disse...

*
uma Feliz Quadra,
desejo-te !
,
conchinhas,
,
*

Nilson Barcelli disse...

A partilha da doçura, até ela se tornar única para os amantes...
Excelente poema, querida amiga Paula. Gostei imenso.
Beijos.

Graça Pires disse...

Belo poema de paixão....
Um beijo, Paula

heretico disse...

quando a(s) boca(s) se incendeia(m)...

beijos

Carmo disse...

Querida Paula, venho desejar Um Natal com muita Paz, Amor, Harmonia Saúde e muita poesia em todos os corações.

Beijinhos

Carmo

Gislene disse...

Olá, Paula!

Desejo à você, um lindo Natal!
E que este Ano Novo que se inicia, lhe traga muita paz, alegria e novas esperanças!

Muitos beijos,
Com carinho,

Gislene.

tulipa disse...

LINDO!!!

Os versos e poemas são lindos e aquecem a alma.

Aproveito a ocasião para desejar

Boas Festas e

Um Bom Ano de 2011

Abracinhos quentinhos.

Nilson Barcelli disse...

Reli e continuei a gostar das tuas palavras.
Paula, querida amiga, desejo-te um Natal muito feliz.
Beijos.