terça-feira, 17 de agosto de 2010

Chamar-te

Quando chamar-te
é o cheiro inesquecível
da maresia,
a voz sussurrante
de uma declaração de amor
e - ainda - a permanente
ousadia de te acompanhar;
chamar-te é o desespero
de não te conhecer
e de saber de ti
(algures perdido).

Quando não chamar-te
me equaciona
a imaginação e a proverbial
carta que não sei escrever:
será esta a chama redutora
do futuro?


Fevereiro de 2010

18 comentários:

Vitor Guerra disse...

Chamar ou não chamar, eis a questão!...

FERNANDINHA & POEMAS disse...

SEM DÚVIDA QUERIDA PAULA, LINDO POEMA... O MEU CORAÇÃO FICOU CHEIO DE ALEGRIA...GRATA AMIGA...!
ABRAÇOS DE CARINHO,
FERNANDINHA

Mona Lisa disse...

Olá Paula

Belo poema onde senti a dúvida, a procura e ânsia de encontrar o amor...

Bjs.

Ana Oliveira disse...

Como sempre as palavras são de menos para dizer...sente-se e é quanto basta...por isso deixo apenas

Obrigada

Um beijo

Sonhadora disse...

Minha querida
Lindo poema, há ternura nele.

Quando chamar-te
é o cheiro inesquecível
da maresia,
a voz sussurrante
de uma declaração de amor

Adorei

Beijinhos com carinho
Sonhadora

Nilson Barcelli disse...

Em caso de dúvida, é sempre melhor fazer mesmo uma declaração de amor... ainda que custe...
Podes não saber escrever cartas (não acredito...), mas sabes fazer excelentes poemas, como este. Parabéns, minha amiga, gostei imenso.
Um beijo.

Graça Pires disse...

"Quero chamar-te"...
Mas repara em nós: que brilho é este que nos brinca nos olhos como se fossem lágrimas?
Um grande beijo, Paula

© Piedade Araújo Sol disse...

o poema é um grito - teu

é a dúvida - no futuro

e ficou um bom poema

um beij

wind disse...

Desesperado:)
Beijos

Observador disse...

Paula
Desconhecia esta tua faceta.

Gostei.

Bjs

aflordapele disse...

As tuas palavras continuam inebriantes...
Fica um beijo

heretico disse...

insuflar chamas. e velas...

poema muito belo

beijos

Jaime A. disse...

Que nunca se perca o chamamento, ou então sim! Para que o que possas escrever tão bem (perdoa o meu egoísmo...).
Sei que não precisas de sofrer o não chamamento para tão bem escreveres.
Um beijo e bom fim de semana.

A.S. disse...

Paula...

Ler-te é sempre um doce fascinio! As tuas palavras geram emoções...


BjO´ss
AL

Carmo disse...

Bonito poema, Paula. A dúvida...a incerteza sempre presente no ser humano.
Beijinhos e boa semana

▒▓█► JOTA ENE disse...

ººº
Paulinha, devo ser mto mau p'ra teres desaparecido... e o tal café como haviamos combinado?

Bjoooo

© Piedade Araújo Sol disse...

boa semana....

espero o novo poema.

beij

argumentonio disse...

ah... ridícula!

tal carta não escrita é apenas uma carta não escrita...

uma carta assim, escrita não escrita, é também ridícula, a cumprir por inteiro a profecia epistolar das pessoas do poeta que nos disse como era!!

porque chamar assim é mais do que chamar, é chamar de amor!!!

;_)))