quinta-feira, 8 de julho de 2010

Talvez

O tempo esgueira-se
astusto e impenetrável
nos interstícios da vida:
nós o permitimos.

Aqui por ser hoje
-jamais-,
só corremos um risco:
ainda estamos
e talvez sejamos.

20 comentários:

Mona Lisa disse...

Tentemos viver cada momento e não apenas "existir"...

Bjs.

Fa menor disse...

Mais do que estar, ser... isso contribuirá para que o tempo não seja nosso dono.

Beijinhos

tecas disse...

Talvez o tempo...seja o começo do tempo...da nossa existência
Bjito querida

Justine disse...

Que mais, para além de brincar com o tempo? E então se for uma brincadeira poética, como a tua...
Gosto do que escreves:)))

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Excelentíssima Senhora Doutora Dona Paula Raposo

Venho, por este meio, despedir-me ad eterno de Vossa Excelência, que tive a ousadia de pensar que era minha ilustríssima Amiga.

Mas, erros meus, má fortuna, andor ardente, a esperança que me enfunava as velas da alegria, esfumou-se, nem tendo chegado a ser como a brisa passageira.

Infeliz que sou, infelizmente, porque a infelicidade é irmã da infidelidade, tomo esta atitude que me deixa em pranto no mais recôndito da minha alma pesarosa.

Não tenho outro caminho. Vossa Excelência Senhora Doutora, com o seu desprezo, deixou-me na escuridão mais profunda e densa, obnubilou-me os sentidos, sentidamente. Homiziado, até. Ostracisado, quiçá.

Perdoe-me Senhora Doutora o tempo - certamente precioso - que lhe roubei. Seu, para sempre, este desditoso que toma a liberdade de enviar a Vossa Excelência o derradeiro queijo, de Serpa

Sem outro assunto,
De V.Ex.ª att. vedor e obgd

Eu próprio, o mesmo

wind disse...

Profundo.
Beijos

Henrique Dória disse...

Oh Paula Tu és só sensações a enganar o tempo que te engana.Beijos. Visita o odisseus

tulipa disse...

OLÁ PAULA

Há quanto tempo...

Mais uma bela poesia tua...
TALVEZ...
quem sabe, queiras aceitar o meu convite para um desafio.
Parabéns pela excelente escrita.

Assim como eu gosto de participar em "Desafios" na área da Fotografia, também gosto de partilhar com todos os amantes de fotografia os desafios que vou tendo conhecimento.
Neste não irei participar porque eu não vivia em Portugal no tempo a que se refere o desafio e por tal motivo não tenho fotos desse tempo para poder participar.
Se tem recordações do Algarve de outros tempos, esta é a hora certa para as partilhar.
O Turismo do Algarve está a organizar o Algarve Vintage – Desafio Fotográfico. Para participar só tem que enviar uma ou mais fotografias daquela região tiradas antes dos anos 70. As 40 melhores fotos integrarão depois uma exposição virtual. Uma boa oportunidade para ver o Algarve a sépia…

Vá lá PARTICIPA!!!
Beijokas.

© Piedade Araújo Sol disse...

o tempo...temos de saber aproveitar.

belo poema como sempre!

boa semana!

beij

Fenix disse...

Agora lembrei-me de uma pessoa que não faz a distinção entre esses dois verbos, ser e estar, porque na verdade só em português existem dois verbos para essas duas realidades.

Creio que somos aquilo que estamos e estamos sempre aquilo que somos, por muito que não queiramos.

Graça Pires disse...

A astúcia do tempo é imensa. O melhor é viver um dia de cada vez porque o futuro é hoje...
Um beijo, Paula

alice disse...

já que é inútil lutar contra a irreversível passagem do tempo, devemos usufruir de cada dia com a atenção dos pormenores da vida. um grande beijinho, paula.

heretico disse...

subtil a distinção - entre "estar" e "ser"...

belo. o poema

beijos

Conceição disse...

Olá amiga!
Um poema sentido, como sempre, gostei muito de ler. Por este motivo, tens um miminho no blog do David aqui para o teu blog, porque sempre que por aqui passas nos deixas algo de ti... Beijinhos

Nilson Barcelli disse...

O tempo só pode ser vivido agora.
Não há outro...
Belíssimo poema, gostei muito das tuas palavras.
Querida amiga, bom fim de semana.
Beijos.

leonor costa disse...

Poema belo e profundo. Aproveitemos a viver o tempo agora.

Beijinhos


HOJE E AMANHÃ

aflordapele disse...

Tentemos então estar e ser um todo a cada dia...
Fica um abraço

Virgínia do Carmo disse...

O tempo é implacável...

[Ainda bem que existem as palavras, pois só nelas o tempo pausa]

Bjos

Viajantis disse...

...sem se ser, não se está...

Pedro Arunca disse...

Talvez a linha que separa o poema do sonho seja frágil...
Beijo