quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Vendaval


Dançando nos teus olhos
o bailado efémero
de romãs translúcidas:
perturbação anímica
e vontade indomável
de te regressar.

Dançando açucenas
a música estremece
no meu peito
e ressoa perene
no eco disforme
de uma manhã
de chuva
quando o vendaval
se desfaz no meu corpo,
absorto.


Um beijo, Graça, tu sabes porquê

Foto minha.

36 comentários:

Liciane disse...

Muito bonito o poema!
Adorei a foto!

Mona Lisa disse...

Belo e triste poema.

Um grito de saudade!

Bjs.
Lisa

Branca disse...

...vontade indomável de te regressar.
Hoje [particularmente] sinto na pele isso! Mas, nada como um dia após o outro.


Deixo um beijo e o desejo de uma semana de muita paz pra vc!

Laura disse...

Bom dia minha querida, mas que beleza de mesa para um pequeno almoço nostálgico, terno, no amanhecer de palavras tão carregadas de Poesia. Menina, tu vives, andas e passas os dias, na Poesia sem par!...
Abraço da laura em bons dias.

Maria Clarinda disse...

Mais uma vez confirmo....LINDO!
Jinhos, Paula!
A foto está mto boa também

wind disse...

Um pouco dark.
Beijos

Graça Pires disse...

Consigo ouvir a música que estremece no teu peito e ressoa no eco disforme desta manhã de chuva.
É muito belo o poema.
Muito obrigada pelo teu beijo. Outro para ti.

Chica disse...

Sempre maravilhas ,paula! um lindo dia pra ti,beijos,chica

José Rui Fernandes disse...

No íntimo das palavras
sentimentos fluem como um rio...

Um beijo,
José Rui

Vitor Oliveira Jorge disse...

Conhece o meu blogue?
http://trans-ferir.blogspot.com
O meu novo livro de poemas vai ser lançado na Casa Fernando Pessoa, em Lisboa, no dia 17 de Novembro, às 19 horas. Se puder, apareça.
Saudações cordiais
Vitor Oliveira Jorge

Rafeiro Perfumado disse...

Dançar nos olhos não é coisa para lixar completamente as retinas?

Beijo!

Justine disse...

Dançando nas tuas palavras sentidas e belas!

Sandra disse...

Ola!
Bom Dia!

Desculpe a demora. Mas no final de semana estava na prais.
Curtindo estes lindos dias de sol.
Vim lhe agradecer o imenso carinho, deixado no blog e a sua doce visita no blog.Amizade se constroem assim... Feitas de quenos momentos.
Conheça os demais blogs. Todos eles são muito especiais, assim como vc.

Muito obrigada pela visita e retribuindo o seu enorme carinho.
Volte sempre.
Sandra.

O amor não mede fronteiras, pode aproximar com mais garras.
Desejo um lindo dia cheio de amor e paz para você.

Andradarte disse...

Sentida homenagem à dor Presente.
Bonita foto a condizer.
Beijo

Maria Emília disse...

Se é verdade, Paula, que os vendavais assolam a nossa vida, por vezes, destruindo quase tudo, não é menos certos que dentro de nós existe uma forma de regeneração sem limites.
Um beijinho,
Maria Emília

mfc disse...

Um poema em que o grito de um regresso é lançado de uma forma que perturba de tão sentido que é.

Vicktor disse...

Querida Paula

Muito bonito poema com sentida dedicatória.

Beijinho.

ausenda disse...

Vendaval, resoando ameno e sereno no teu poema...lindo!

Beijo

Victor Gil disse...

Olá Paula.
Vendaval de palavras, bailando de encontro às nuvens chuvosas. Lindo de verdade.
Beijos minha boa amiga
Victor Gil

peciscas disse...

Uma manhã de chuva nunca nos deixa indiferentes. O nosso humor acompanha o vendaval.
Mas assim como o tempo, também o humor (e o amor...) se recompõe.

© Piedade Araújo Sol disse...

Paula

gostei da foto, e do poema com a qualidade que já nos habituas-te.

sublinho esta frase:

Dançando açucenas

é uma frase simples, mas recordo que faz alguns anos estive nos Açores nesta data e havia muitas açucenas, e eu exclamei extasiada:

-Açucenas tantas!

uma residente de lá respondeu-me a sorrir...

-Haaa são meninas para a escola!

porque as açucenas florescem em Outubro /Novembro.

obrigada!

beij

jawaa disse...

Hoje tive aqui umas nuvens assim gorduchas...
Lindo o poemas e a foto.
Um beijo

Kim disse...

Sempre igual a ti mesma.
A qualidade cresce!
Bj Paola

Sonia Schmorantz disse...

Este vendaval poético está lindo!
beijo

Osvaldo disse...

Paula;

Vendavais, são os teus poemas e a força que consegues dar às sílabas que os compõeem. São esses os ventos da poesia.
bjs, Paula,
Osvaldo

gaivota disse...

um vendaval de emoções em nuvens carregadas...
beijinhos

Ana Martins disse...

Maravilhoso!!!

Beijinhos,
Ana Martins

Manu disse...

Olá Paula!

Nos dias cinzentos, chuva intensa
temos nossos momentos de reflexão
nos tons da vida, a gente pensa
e nem sempre encontra explicação

E o pensamento é a arma mais forte que os poetas têm. Beijos

Eduardo Aleixo disse...

Poema e foto em perfeita e bela sintonia.
Beijos.
Bom fim der semana.

Gislene disse...

OLÁ, PAULA
TEM UM NOVO MIMO PRA VOCÊ NO MEU BLOG!
UM ABRAÇO,
GISLENE.

Mateso disse...

No cinzento do dia o diáfano das palavras.
Bj.

EDUARDO POISL disse...

Hoje passando para te ler, e desejar um lindo final de semana com muito amor e carinho

"É melhor tentar e falhar, que preocupar-se e ver a vida passar.
É melhor tentar, ainda que em vão, que sentar-se fazendo nada até o final.
Eu prefiro na chuva caminhar, que em dias tristes em casa me esconder.
Prefiro ser feliz, embora louco, que em conformidade viver..."
Martin Luther King

Abraços com todo meu carinho

Pedro Arunca disse...

Brindas-nos sempre com teus versos carregados de nostálgia.
Beijos

Obs: Vou mandar-te por mail meu novo num. tlm.

heretico disse...

belíssimo o poema. belas as "romãs translúcidas..."

excelente.

beijo

Manuela Freitas disse...

Céu carregado e um belo poema cheio de nostalgia...e de desejo de regressar...eu nada sei!...
Bj,
Manuela

Carla disse...

e dançaram açucenas neste vendaval de nuvens
beijo