terça-feira, 19 de julho de 2011

Enquanto

Estás comigo
Enquanto eu escrevo
E tu me observas.
Criticas acesamente
As rimas que não procuro,
A dureza das palavras,
A melancolia dos temas.

Sorrio-.te longamente
Levada na tua voz rouca,
Enquanto acendo um cigarro
E o café arrefece.

Ligo o aquecedor
E acendo uma vela,
Intensificando o odor
Que enche a sala,
Tentando escrever,
Pontuando o ritmo
Com uma vírgula.

Estou aqui contigo
Negando sentimentos
Que me percorrem,
Enquanto escrevo,
Respiro fundo
E fico dentro de ti
Em cada palavra,
Em cada momento.

Paula Raposo - 2006.

9 comentários:

mfc disse...

As memórias não se apagam...

Mar Arável disse...

No ritmo

sem pontos nem vírgulas

O Profeta disse...

E as pedras da ilha…
As pedras da ilha não têm idade
Não tem limite o amor quando é amor
Não tem medida a extensão da saudade

Na ilha a saudade é um navio
É vapor da madrugada com a bruma
É gaivota voando no canal
É alma despojada de coisa alguma


Doce beijo

Sonhadora disse...

Minha querida

fica sempre algo dentro de nós, uma recordação mais ou menos fogo...mais ou menos cinza.

deixo um beijinho
Sonhadora

Graça Pires disse...

"E fico dentro de ti
Em cada palavra,
Em cada momento."
Memórias que fazem o poema...
Um beijo, Paula.

heretico disse...

um bela cascata de imagens poéticas.

beijos

wind disse...

Gosto muito.
Beijos

© Piedade Araújo Sol disse...

memórias que ficam...

beij

Jaime A. disse...

Gostei muito desta descrição de uma relação com texto em fundo - ou será o contrário?