terça-feira, 12 de julho de 2011

Lado a lado

Lado a lado
A compreensão
Desajusta-se
No justo momento
De a desfrutar,
Lado a lado
Amachuca-se
E em velas enfunadas
Perde a maré,
O tempo e o ideal,
Quando lado a lado
Não ganhamos
A voz da liberdade.


Paula Raposo in 'marcas ou memórias do vento', Editora Apenas Livros, 2009.

8 comentários:

valquiria disse...

Lado a lado sigamos, torcendo por ventos bons, nas velas do destino. Abraço querida Paulo.

mfc disse...

Assim não vale a pena continuar!
Sofre-se demais...!

Mona Lisa disse...

Olá Paula

...lado a lado, com amor ,há liberdade...

Bjs.

wind disse...

Triste.
Beijos

heretico disse...

o amor (como a poesia) é "liberdade livre"

beijos

Mar Arável disse...

Na verdade

só em liberdade

Graça Pires disse...

Lado a lado contigo na poesia partilhada.
Um beijo, Paula.

Viajantis disse...

...a vida é feita de encontros e desencontros...